terça-feira, 30 de agosto de 2016

AS FRAUDES ECONÓMICAS EM PORTUGAL

O GOVERNO PORTUGUÊS TENTA REAVER EM TRIBUNAL DINHEIRO DE FRAUDES NA SAÚDE
Titulo de primeira página do Jornal de Notícias de 30 de Agosto de 2016.
Entende-se por louvável que os que praticaram as fraudes sejam confrontados com a justiça e obrigados a repor o que ilicitamente roubaram aos seus concidadãos.
Não se compreende porque será que o Estado não tenta reaver pela mesma via os 6 milhões que os deputados gastam em viagens, os 8 milhões que deu para o Futebol, os milhões que as Camaras Municipais gastam indevidamente, os milhões gastos pelas Instituições Publicas de Solidariedade Social (IPSS), os milhões gastos pelos Institutos de Emprego e Formação Profissional (IEFP), os milhões dos negócios das Parcerias Publico Privadas (PPP), os milhões dos submarinos, os milhões investidos e perdidos nos  Bancos falidos (BPP, BPN, BANIF, Novo Banco, BES, CGD).

É caricato ou estas noticias mais não servem que para distrair o povo, escondendo as verdadeiras fraudes que têm arruinado a economia portuguesa nos últimos 6 anos.

ATÉ AO LIMITE DA HONRA

Ontem vi um filme “ATÉ AO LIMITE DA HONRA”, que narrava a historia de uma mulher, que contrariando todos os preconceitos sócio/culturais existentes na vida militar, alistou-se nas tropas de elite dos USA, onde só existiam homens.

RETIVE AS FRASES.
«Nunca vi um animal selvagem ter pena de si mesmo».
«Um pássaro cai morto de cima de uma árvore, sem nunca ter sentido pena de si próprio».
«O melhor da dor é que ela mostra que ainda não estamos mortos».

Ainda que não seja um selvagem no mau sentido da palavra, a verdade é que nunca senti pena de mim. A “dor” que me tem sido provocada nos últimos dez anos desencadeia e faz reagir o meu lado “selvagem” mostrando que ainda não estou morto, antes mais forte e sempre disponível para enfrentar todas as formas agrestes da vida.

ENTENDO QUE OS LIMITES DA HONRA SÓ TERMINAM COM A MORTE.
HONRA E MORTE SÃO AS CARACTERÍSTICAS DOS HERÓIS. 


sábado, 27 de agosto de 2016

AS ILEGALIDADES NOS INSTITUTOS DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL (IEFP)


AS ILEGALIDADES NOS INSTITUTOS DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL (IEFP)
As ilegalidades cometidas no IEFP, desde há muito conhecidas, não se resumem unicamente a questões económicas e a fraudes praticados pelas empresas.
Um único inscrito nos Centros de Emprego pode frequentar estágios e formações  repetitivas em áreas de diferentes profissões, quando a hipotética formação teria obrigatoriamente de ser sempre realizada na mesma área.
Não faz qualquer sentido que um individuo frequente uma formação/estágio na área de carpintaria e decorridos uns meses frequente uma formação/estágio na área de hotelaria, ou que frequente uma formação linguística e faça um estágio como caixa de um supermercado.
São ás centenas os casos em que os supostos formandos/estagiários voltam à posição de desempregados.
Nesta dicotomia formação/estágio vrs desemprego, os anos vão decorrendo até que o desempregado atinge uma idade em que já não tem possibilidades de encontrar um local de trabalho para a sua subsistência.
É do conhecimento público que alguns funcionários, com conhecimento das chefias dos IEFP, beneficiam os seus “amigos” com múltiplas formações e estágios, em áreas diferentes, com a finalidade de lhes serem atribuídos subsídios.
Há casos de indivíduos que trabalham “no escuro,” até exercendo actividades ilícitas, aos quais foram atribuídos subsídios.  
O mesmo acontece relativamente às entidades patronais que “pagam luvas” para que os subsídios lhe sejam atribuídos e que depois não retribuem com as formações/estágios, não pagam aos estagiários, nem impostos, ou declaram insolvência.
Outra das ilegalidades é a pratica de alguns funcionários utilizarem nas horas de expediente os sistemas de comunicação telefónica e informática para  “viajarem” nas redes sociais e nos chatt.
Por outro lado, temos a fraude política no que concerne ás estatísticas relacionadas com os numero de desemprego.
Como é sabido os formandos/estagiários servem para diminuir o números de desempregados, assim como os trabalhadores sazonais.
Infelizmente a corrupção, o favorecimento ilícito, a fraude é inerente à crise social e moral que o País atravessa.
O mau exemplo tem inicio nas próprias chefias, nas nomeações políticas e nos dirigentes que “arquivam” as denuncias no fundo da gaveta, não dando conhecimento ao Ministério Público.
Entretanto, em 2015 foram gastos 200 milhões de € e 30.663 milhões até à data presente qoe sobrecarregam de impostos os honrados, honestos, idosos, inválidos contribuintes, perpetuando este nunca mais acabar de ilicitudes.
Havendo, como há múltiplas empresas que oferecem estágios e seleccionam profissionais para as múltiplas áreas, cabe perguntar porque razão não se extinguem os IEFP?
Porque razão não são os infractores confrontados com a justiça?

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

SERÁ QUE AINDA EXISTE DEMOCRACIA EM PORTUGAL?

Reconheço-me como de dificil compreensão.
Hoje li na página 08 do Jornal de Noticias uma frase de Simone Beauvoir, que foi proferida na Assembleia da Republica, por Mário Carvalho Jesus, desempregado de 56 anos de idade, punido com seis meses de prisão por contestar Pedro Passos Coelho quando este discursava na "Casa da Democracia", como eles lhe chamam, mas que e na minha modesta opinião mais não é uma "casa" onde proliferam algumas dezenas de corruptos.
Transcrevo a frase com adpatações para que seja melhor entendido.
«NÃO POSSO PERMITIR QUE OS MEUS CARRASCOS ME CRIEM MAUS COSTUMES» (Simone de Beauvoir)
NÃO PERMITO ENQUANTO TIVER DISCERNIMENTO, FORÇA E ALENTO.

sábado, 20 de agosto de 2016

OS CONTRIBUINTES PORTUGUESES SÃO OBRIGADOS A CONTRIBUIR PARA AS FALÊNCIAS FRAUDOLENTAS DOS BANCOS.

Segundo um artigo publicado no Jornal de Noticias em 20 de Agosto de 2016, o sistema bancário português já custou 20,3mil milhões de euros aos contribuintes o que corresponde a 11% do PIB.
Desta forma, as familias são sobrecarregadas de imposto e consequentemente lançadas na pobreza.
Entretanto a corrupção, o enriquecimento ilícito aumenta de forma assustadora.

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

O MENINO DE ALEPO E O ADOLESCENTE DE PONTE DE SOR


O MENINO DE ALEPO E O ADOLESCENTE DE PONTE DE SOR
Presume-se que os milhões de humanos que habitam o nosso planeta conhecem que ALEPO se situa na Síria, onde existe uma guerra civil, onde diariamente morrem centenas de pessoas em consequência dos bombardeamentos.
A imagem chocante do menino de ALEPO, ferido em consequência dos bombardeamentos, foi notícias na imprensa diária, nas redes sociais, nos canais de televisão dispersos por todo o mundo.
A questão é que as bombas não tem nome, quem as lança cumpre ordens militares superiores, o seu autor não é identificado e por tais motivos nunca será responsabilizado pelas mortes e feridos. È uma questão política e os efeitos “colaterais” de uma guerra.
O Mundo e os seus habitantes desconhecem onde se localiza PONTE DO SOR, presumo até que muitos portugueses nunca lá foram nem sabem onde é.
PONTE DO SOR fica no ALENTEJO – SUL DE PORTUGAL .
Em PONTE DO SOR reside um adolescente de 15 anos, de seu nome RUBEN CAVACO, que foi violentamente agredido por dois IRAQUIANOS, irmãos gémeos, de 17 anos de idade, que frequentam uma escola de pilotos de aviação, filhos do senhor SAAD MOHAMMED, distinto EMBAIXADOR DO IRAQUE em Portugal.
RUBEN CAVACO, encontra-se internado num hospital de Lisboa, com múltiplos traumatismos cranianos, em coma induzido, em consequência das agressões de que foi vitima, onde se inclui o ter sido trucidado pelo veículo diplomático conduzido pelos filhos do senhor embaixador.
A Policia Portuguesa deteve os suspeitos do crime, que foram de imediato libertados por GOZAREM DE IMUNIDADE DIPLOMÁTICA, segundo as condicionantes impostas pela Convenção de Viena, dizem os entendidos nestas “merdas.”
Torna-se publico que a um qualquer energúmeno devidamente identificado, que goze de imunidade diplomática, é-lhe conferida, impunemente,   a pratica de homicídio ainda que na forma tentada.
As fotos de RUBEN agredido não foram publicadas nos jornais, o caso não mereceu a atenção da comunicação social mundial, dos telejornais, nem das redes sociais.
A questão é saber-se:
-------------------Um “terrorista” com passaporte diplomático pode, segundo a Convenção de Viena, fazer explodir uma qualquer estação do metropolitano em qualquer parte do Planeta?
--------------------E se o RUBEN fosse filho de um diplomata do governo Português, de um membro do governo, de um deputado da Assembleia da República Portuguesa, ou neto do Exmo. Senhor Presidente da República?
E SE O RUBEN CAVACO FOSSE FILHO DE UM DE NÓS?
Certamente que os gémeos, filhos do senhor embaixador do IRAQUE, já não se encontram em Portugal.
O MUNDO É UM LOCAL PERIGOSO PARA SE VIVER.

 

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

A BIPOLARIDADE, AUSÊNCIA DE SENTIMENTOS AFECTIVOS E A PROMISCUIDADE SEXUAL


A BIPOLARIDADE, AUSÊNCIA DE SENTIMENTOS AFECTIVOS E A PROMISCUIDADE SEXUAL
FICÇÃO
Há cerca de três anos, o senhor Silva casado e pai, conheceu, a Beta, no seu local de trabalho.
Beta era uma desempregada que o senhor Silva introduziu na residência do casal e com a qual manteve relações amorosas, na presença da sua filha, enquanto a sua esposa se encontrava ausente por razões laborais.
O senhor Silva contava que Beta recebia subsidio de desemprego, mas que trabalhava no “escuro”, referindo-se a evasão fiscal, que aliciava jovens para se exibirem em posições eróticas perante o skype, das quais fazia fotos e vídeos que depois vendia no mercado negro.  
“Amigos” no FB, deixaram de o ser porque o senhor Silva foi descoberto e Beta também tinha assumido uma relação.
Decorridos dois anos, voltaram a contactar-se através de FB, onde ele descrevia as suas aventuras amorosas e mais uma vez, traindo a sua companheira, lhe proponha um orgasmo.
Conversando através do mensageiro, Beta dizia ao senhor Silva que não admitia que a companheira dele se metesse no “assunto” caso contrário lhe dava uma tareia.
Tanto quanto se sabe, Beta rejeitou o convite porque não compareceu ao encontro que teria lugar na residência dos seus pais.
Desta forma voltaram a desfazer a “amizade” que existia no FB.
Não sendo surpresa, recentemente voltaram a “reconstruir a amizade.”
Entretanto o senhor Silva já conta dez “escapadelas” no seu curriculum, só no espaço de oito meses. É obra!!!
Nesta história, o que mais seduz é o facto da Beta aparecer tocando ou simulando tocar guitarra eléctrica, o senhor Silva adorar gatos, pintar, cortar o cabelo e alterar diariamente a sua foto de perfil na expectativa de novos likes apostos sempre pelos mesmos imbecis.
A tristeza desta história é que o senhor Silva é um doente mental em tratamento a requer internamento, restando seriamente saber-se se Beta também não o será.

 

 

EM PORTUGAL NÃO EXISTE IGUALDADE DE OBRIGAÇÕES FISCAIS


IGUALDADE DIREITOS INCLUINDO OS FISCAIS.
Todos os anos por esta altura os contribuintes portugueses são notificados para a liquidação de impostos directos (IRS e IRC), pagamentos por conta (PC), sendo ameaçados com penhoras de bens.
Entretanto os contribuintes de relevância contributiva e económica, (vide LGT) impunemente dão continuidade ás fraudes, evasões fiscais, e lavagem de capitais.
Quem são eles?
Vejamos:
Banco Português de Negócios (BPN) 3,2 mil milhões de €; Banco Privado Português (BPP) 966 milhões; Banco Espírito Santo (BES) 3,9 mil milhões; Banco Internacional do Funchal (BANIF) 2,6 mil milhões; Novo Banco (BN) 4,9 mil milhões; Caixa Geral de Depósitos (CGD) 205,2 milhões; Submarinos 1,026 mil milhões; o Estado Português deu 8,8 milhões à Federação Português de Futebol para pagar dividas fiscais, a Mota Engil vai pagar em prestações 6,1 milhões de dividas com anos de atraso para evitar julgamento dos seus responsáveis.
A soma só destes casos, excluídos outros menos relevantes e que desconhecemos, representam aproximadamente 17 mil milhões de euros, quase 10% do produto interno bruto (PIB) referente ao ano de 2015, e 8% da divida pública portuguesa.
Estamos na presença de crimes fiscais, lavagem de capitais, fuga aos impostos, burlas agravadas, etc..
Entretanto, os responsáveis por estes crimes, indiciados (arguidos) por tais práticas criminosas, continuam “alegremente” a passar férias no Algarve, não são julgados nem ameaçados de penhoras.
Após o 25 de Abril de 1974, os jovens, “políticos de esquerda” dessa altura, escreviam grafites nas paredes. Um deles dizia.
----------------------------------------------“OS RICOS QUE PAGUEM A CRISE”
Hoje, Homens?, de direita ou de esquerda, sem dignidade, deviam mandar escrever.
----------------------------------------------“OS POBRES QUE PAGUEM A CRISE”
O que me incomoda é não haver por aí, ao virar da esquina, com o devido respeito e admiração,  UM GENERAL EANES, para ver se dava-mos a volta a este País.

 

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

EM PORTUGAL É OBRIGATORIO PARA IMPOSTOS PARA SER PROPRIETARIO DE UMA CASA COM EXPOSIÇÃO SOLAR E COM JANELAS PARA O MAR OU PARA A SERRA.

«MINISTRO CONCORDA QUE O SOL AGRAVE O IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE IMÓVEIS (IMI)»
Presume-se que os Portugueses estão impedidos de desfrutar o Sol, contemplar a natureza do seu País e como qualquer condenado são obrigados a viver em calabouços ou em solitarias afim de evitar uma maior sobrecarga de impostos.
Se pago IMI por ter uma residência exposta à luz solar e vistas desafogadas, qual a dedução do imposto durante a noite, no inverno, céu incoberto, nevoeiro e tempo chuvoso?
Salvo raras excepção, sempre considrei que os politicos portugueses padecem de imbecilidade muito grave a requer internamento compulsivo em psiquiatria.

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

A NORMA VS O PENSAMENTO RACIONAL


A NORMA VS O PENSAMENTO RACIONAL
A norma imposta presume-se que segue uma elaboração racional do seu ou dos seus autores, que depois de homologada, regulamenta a sã convivência social.
No entanto, tem-se publicado normas que nos faz questionar a sanidade dos seus autores. São exemplos as novas normas do imposto sobre imóveis, do pagamento por conta e do pagamento especial por conta.
Sendo as normas impostas diferentes de País para País, de cultura para cultura, o incumpridor das normas não é necessariamente um “anormal” no sentido lato da palavra.
É frequente designar-se por “anormal” um individuo que padece de uma perturbação mental, o que, no meu conceito e conhecimento médico, é um adjectivo que não deve ser aplicado aos doentes mentais.
A aprendizagem, aquisição de conhecimento, as vivencias sócio/culturais,  modelam a nossa personalidade, desenvolvem pensamentos elaborados que permitem reagir de forma racional, por vezes emotiva, característica da sanidade mental.  
Bem diferente é o imbecil, cujo comportamento “anormal” traduz um deficit de racionalidade que se verifica na maioria das doenças mentais como na esquizofrenia, bipolaridade, traumatismos crânio/encefálicos, acidentes vasculares, degenerescência neuronal como no Alzheimer, consumo de álcool, estupefacientes e em algumas doenças sistémicas.
Deixa-se explícito que as doenças mentais tornam os seus portadores “anormais” por ausência de racionalidade e não por infringirem  as normas. Caso contrário, uma simples infracção ao código de estrada classificaria o seu autor como doente mental e por isso inimputável.  

    

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

SUBJECTIVIDADE

Tudo na vida é subjectivo onde se inclui a própria vida.
Subjectividade que justifica a certeza da morte.

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

PENSAMENTO - SOBRE OS SENTIMENTOS.

Os sentimentos não são como dejectos que despejamos na sanita e seguem pelo esgoto até se diluirem nas águas de um qualquer ribeiro mal cheiroso.
Os sentimentos nobres como o "amor", por vezes desencadeiam grande sofrimento.
Por isso mesmo devemos compreender os que sofrem ao longo do tempo e que se recusam a morrer como dejectos.

CRÓNICA DO DIA 01 DE AGOSTO DE 2016


CRÓNICA DO DIA 01 DE AGOSTO DE 2016
Publica-se na integra o texto “comovente” da distinta escritora “Elisagabriel” candidata ao Prémio Nobel da Literatura da hipocrisia, manipulação e da mentira.
«O caso verídico da minha amiga Sílvia:
Covardia é atacar, apunhalando, alguém que achamos mais frágil.
Na verdade, a falta de carácter alia-se à cobardia.
A cobardia reveste a cara da crueldade e do princípio "não olhes a meios para atingir os teus fins", retratando pessoas cruéis e sem escrúpulos.
O caso muda de figura quando os atacantes são da área da saúde.
Sim, Sílvia ganhou uma propensão para estados depressivos e é medicada, se calhar para a vida inteira. E assim consegue ter uma vida normal. Mas onde está o mal? É como se lhe faltasse a tiróide e teria de compensar por aporte hormonal vitalício, ou se sofresse de diabetes e teria de tomar insulina.
Ninguém deveria saber a "doença da minha amiga", mas 3 pessoas encarregaram-se de o gritar na Comunidade!
E uma Psicóloga, um Médico (ex-companheiro de Sílvia) e o ex-marido de Sílvia, aliado à recente companheira Psicóloga, querem levar Sílvia, de preferência ao fundo do poço.
Quando o objectivo é meter-se no emprego de alguém, tirar-lhe o filho e por fim a saúde, ofendendo a sua "reputação", dignidade, gritando a todos a fragilidade de Sílvia, pressupõe-se que essas pessoas deveriam ser acusadas de não cumprir os princípios éticos de suas profissões, que são sujeitas a normas éticas/ de conduta.
Só me apetecesse chorar pela minha amiga Sílvia, sim muito. Embora seja pouco de chorar.
Um dos objectivos das retaliações são os ciúmes e a vingança. 
Mas vingar-se de Sílvia, que já tem a sua cruz, por pessoas da área da saúde e pelo ex-marido de Sílvia (pouco preocupado com isto tudo) é um verdadeiro "complot" com vista a levar Sílvia, a minha melhor amiga, quem sabe a um "suicídio".
Porque não estamos propriamente na altura, nem nunca estivemos, de se brincar com o emprego de ninguém, muito menos com alguém que sabemos, lutou imenso, para chegar onde está, mais ainda porque tem as tais propensões.
Também não se brinca a tirar o filho desta mulher, que tanto merece o filho que tem!
Assim, Sílvia está a ser injuriada, discriminada de forma gravosa, coagida emocionalmente, tratada de "gorda", diz-lhe o ex-marido que "não presta!" e que "não vale nada!".
A Psicóloga trata a minha amiga por gorda, vaca, prostituta.
Hoje decidi contar a história da minha amiga Sílvia porque a vejo triste, sem ânimo, chorosa, com pouca auto estima, com pouca força de vontade.
Eu preferia não falar disto publicamente, mas a saúde da minha amiga e a vida dela estão a ser profundamente atacadas e a sua reputação denegrida.
Por favor deixem a minha amiga em paz, porque senão teremos que recorrer à justiça para proteger e defender a minha amiga, que além disto tudo anda também a ser ameaçada na sua integridade física.»
COMENTÁRIO
Lendo-se com atenção presume-se que a história da Sílvia amiga do “coração” da distinta escritora está muito mal contada. Para além disso, mais uma vez, a escritora devassa a vida privada da sua “grande amiga.”
Covardia, falta de carácter, crueldade, falta de escrúpulos é trair, humilhar e descartar, como se um ser humano fosse lixo.
Desconheço o caso, mas sendo verdade que Sílvia é portadora de doença crónica, que “controlada” com medicação diária faz com se mantivesse estável, entende-se que não a deve auto suspender.
Segundo a distinta escritora, Sílvia devassou e devassa a sua vida privada e de quem a rodeia e amava.
Uma vez que a distinta escritora refere que a sua “amiga” divulga a doença aos desempregados que recorrem ao seu local de trabalho, aos seus “amigos” das redes sociais, da net, dos sites de “engate.” etc… é contraditório dizer-se que foi o ex. marido, o ex. companheiro ou a actual companheira do ex. marido que divulgou ou divulga a “doença.”
Acusando o ex. companheiro, o ex. marido ou a sua actual companheira de ameaças à integridade física, de lhe chamarem gorda, que não presta, vaca, prostituta, mais não reflecte que  delírios persecutórios com mania de perseguição.
Desconheço quais os objectivos, dos visados, de “levar a Sílvia ao fundo do poço.”
Será mesmo vingança e ciúmes?
Que terá feito Sílvia para que o ex. marido, o ex. companheiro, e a companheira do ex. marido, se queiram vingar?
Poderá dizer-se que existe, auto estima, reputação e dignidade quando, segundo narrativas da distinta escritora, Sílvia introduz, na residência do marido e da casa dos pais, na ausência do marido e do  ex. companheiro, o Daniel, o Russo, o Miguel, o Gabriel, do Miguel de Viseu, vai à Figueira receber reconecções do Victor, anda ao “engate do Victor de Lisboa, do Márcio de Felgueiras,  do Sérgio das massagens tântricas, do Daniel de Lille, tudo isto no espaço de 8 meses?
Sílvia não é tão inocente, coitadinha, ou boazinha como pretende deixar transparecer.
De facto a doença de Sílvia é comovente e faz chorar “lágrimas de crocodile”
A DOENÇA JUSTIFICAM, MAS NÃO DEVIA JUSTIFICAR, A MENTIRA, O DESRESPEITO, A TRAIÇÃO, A HUMILHAÇÃO, O SOFRIMENTO QUE DESENCADEIAM NOS QUE AMAM UM DESTES DOENTES.