domingo, 31 de janeiro de 2016

zika



Gleyse Kelly da Silva segurando sua filha, Maria Giovanna, que nasceu com microcefalia associada ao vírus Zika.
A Organização Mundial da Saúde alertou que o vírus Zika está numa fase de expansão no Continente Americano com maior incidência na América Latina e Africa Ocidental mais de quatro milhões de pessoas podem ser infectadas até o final do ano. 
Funcionários dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças recomendam que as mulheres grávidas evitem viagens para cerca de duas dezenas de países, principalmente no Caribe e América Latina, onde o surto está a crescer.
A infecção parece estar ligada ao desenvolvimento invulgar de microcefalias e lesões cerebrais em recém-nascidos. 
O que é o vírus Zika?
É uma infecção transmitida por um mosquito relacionadas com dengue, febre amarela e vírus do Nilo Ocidental. 
Apesar de ter sido descoberto na floresta Zika em Uganda em 1947, é comum na África e na Ásia, que não se espalhou pelo Hemisfério Ocidental até maio do ano passado, quando um surto surgiu no Brasil.
Poucos de nós têm defesas imunológicas contra o vírus, por isso se transmite rapidamente. 
Para a maioria, a infecção não causa sintomas e nem lesões permanentes. 
A preocupação científica está focada em mulheres que são infectadas durante a gravidez e aqueles que desenvolvem uma forma temporária de paralisia após a exposição ao vírus Zika.
Todos os meus colegas obstetras devem estar atentos e as grávidas serem submetidas a exames ecográficos até às 19, 20 semanas de gestação.
Como é que o vírus se dissemina?
Através dos mosquitos, mas nem de todas a espécies.
Zika é transmitido por mosquitos do gênero Aedes, podendo-se reproduzir numa piscina ou num meio tão pequeno como uma tampa de garrafa de água.
Geralmente picam durante o dia. 
O mosquito da febre amarela, Aedes aegypti, disseminou a maioria dos casos Zika.
O mosquito tigre asiático, Aedes albopictus, também é conhecido por transmitir o vírus.
Embora o vírus seja normalmente transmitido por mosquitos, existem relatórios de uma eventual propagação através de transfusão de sangue e sexual através sêmen.
Como pode o vírus Zika causar microcefalia?
Os especialistas não têm certeza como acontece, ou mesmo se a culpa é do vírus.
A possibilidade de o vírus provocar Zika microcefalia, “cabeça pequena” e lesões cerebrais, surgiu apenas em outubro, quando os médicos no norte do Brasil notaram um aumento em bebês com microcefalia.
Podem existirem outros factores, como infecção simultânea com outros vírus, que contribuíram para o aumento das lesões. 
Os investigadores podem achar que o vírus Zika não é a causa principal, embora a evidência circunstancial o sugira.
Aproximadamente três milhões de bebês nascem no Brasil a cada ano, cerca de 150 casos de microcefalia são relatados, desconhecendo-se como microcefalia se tornou comum no Brasil, nos últimos meses. 
Actualmente estão a investigar cerca de 4.000 casos porque as grávidas estão mais alertadas e recorrem mais frequentemente aos serviços de saúde.
O que é a microcefalia?
Microcefalia é um cérebro pequeno.
A “caixa” óssea craniana fecha precocemente e o cérebro não atinge o desenvolvimento normal.
Em cerca de 15% dos casos, não há nenhum efeito sobre a criança,
Nos restantes, o cérebro do bebê não se desenvolve adequadamente durante a gravidez ou pode parar de crescer nos primeiros anos de vida. 
Estas crianças podem apresentar atrasos de desenvolvimento, deficits intelectuais ou perda de audição.
Identificar uma causa subjacente ajuda os médicos a aconselhar os pais sobre o prognóstico de seu recém-nascido.
As anomalias genéticas são uma causa comum. 
Pode também ser desencadeada por infeções fetais, rubéola, toxoplasmose, citomegalovírus, alcoolismo materno, fármacos, diabetes, desnutrição.
Se o defeito ocorrer em primeiros anos de uma criança, pode ser o resultado de uma lesão cerebral durante o parto.
Não existe tratamento, nem maneira de corrigir o problema.
Que países devem ser evitados pelas grávidas?
Cerca de duas dezenas de destinos principalmente no Caribe, América Central e América do Sul.
A Organização Pan-Americana da Saúde acredita que o vírus vai-se espalhar localmente em cada país das Américas, excepto Canadá e Chile. 
Como posso saber se fui infectado? 
Existem teste?
Frequentemente é uma infecção silenciosa, de difícil de diagnostico.
O Zika não foi considerado uma grande ameaça porque os sintomas são relativamente leves. 
Apenas uma em cada cinco pessoas infectadas desenvolvem sintomas, que podem incluir febre, exantema, dores nas articulações e os olhos vermelhos. 
Os infectados normalmente não tem que ser hospitalizado.
Não existem teste amplamente disponíveis para diagnóstico do Zika, porque está intimamente relacionado com dengue e da febre amarela, podendo reagir de forma cruzada com testes de anticorpos para os vírus. 
Para detectar o Zika, uma amostra de sangue ou de tecido deve ser enviada para um laboratório a partir da primeira semana de infecção, de modo que o vírus possa ser detectado através de ensaios moleculares sofisticado.
O algoritmo de testes CDC para as mulheres grávidas que têm visitado países em que o vírus está se espalhando Zika. 
Estou grávida e visitei recentemente um país com o vírus Zika. 
O que eu faço?
Devem obter exames de sangue, (hemoculturas) e ecografias.
Em 19 de janeiro, o CDC emitiu orientações provisórias para as mulheres e médicos. 
As grávidas devem consultar o médico. 
As que tiveram sintomas de infecção, febre, erupção cutânea, dor nas articulações e olhos vermelhos após uma viagem ou duas semanas após o retorno devem fazer exame de sangue para o vírus.
Essa recomendação é controversa, porque as mulheres sem sintomas podem estar infectadas.
80% podem estar infectadas sem sintomatologia.
Não há evidências de que os fetos apresentem lesões só porque a mãe está doente. 
Os exames de sangue não são tranquilizadores. 
Os testes só válidos na primeira semana ou após a infecção. 
A pesquisa de anticorpos pode ser feita mais tarde, mas podem originar falsos positivos se a gravida tiver sido infectada pelo dengue, febre amarela, ou mesmo após a vacinação contra a febre amarela.
A ecografia morfológica é o exame mais indicado para detectar microcefalia ou calcificação do crânio fetal, mas só após as 19/20 Semanas de gestação.
Embora não isenta de riscos, a amniocentese, após as 15 semanas de gestação, pode ser um método de diagnóstico.
Mulheres em idade fértil.
Não grávida, sem gravidez planeada, devo ir a um país afectado?
Metade das gravidezes são intencionais. 
Deve fazer uso rigoroso de controle de natalidade para garantir que não ficar grávida.
As mulheres que se tornam inesperadamente grávida durante uma viagem ou pouco depois terá de fazer exames de sangue e ecografias mensais.
Se está grávida e engravidou após o regresso de um dos países afectados o risco fetal é praticamente nulo.
Presume-se que o vírus não fica retido no organismo, e as pessoas que recuperam da infecção são imunes.
O momento mais perigoso para o feto é no primeiro trimestre gravidez, quando algumas mulheres não percebem que estão grávidas. 
Especialistas não sabem como o vírus atravessa a placenta.
Vírus relacionados com febre amarela, dengue do Nilo Ocidental, normalmente não atravessam a placenta. 
Os vírus de outras famílias, incluindo a rubéola e citomegalovírus, às vezes passam a placenta.
Bebês positivos podem ter outros defeitos congénitos ligados ao vírus?
Os recém-nascidos devem fazer exames para a infecção com vírus Zika, se suas mães visitaram ou viveram em qualquer país com surtos e se os testes maternos são positivos ou inconclusivos.
A infecção pode estar ligada a defeitos da visão e da audição, entre outras anormalidades, mesmo que a criança não sofre de microcefalia. 
As orientações aplicam-se aos filhos de mães que relataram sintomas de infecção Zika, erupção cutânea, dor nas articulações, olhos vermelhos ou febre enquanto estiveram num país afetado ou após duas semanas de regresso de uma viagem de tal destino.
Existe tratamento?
Não.
Existe uma vacina? 
Não existe vacina contra o vírus Zika. 
Como as pessoas devem proteger-se?
A Proteção é difícil em regiões infestadas por mosquitos.
É impossível prevenir completamente as picadas de mosquito.
Evitar as regiões onde Zika está sendo transmitidos as mulheres grávidas.
Ficar em quartos com ar condicionado, dormir sob mosquiteiros, repelente de insetos, calças, mangas compridas, sapatos e chapéus.
Se o vírus Zika surgiu á décadas na África e na Ásia porque é que a microcefalia não foi detectada mais cedo?
Pode ser que nunca tenha atingido uma população tão grande sem imunidade.
A Microcefalia é rara, e tem outras causas, incluindo infecção do feto com rubéola citomegalovírus ou toxoplasmose,  envenenamento do feto pelo álcool, mercúrio, radiação, desnutrição materna grave, diabetes, mutações genéticas, incluindo o síndrome de Down.
As autoridades de saúde prestaram pouca atenção ao vírus Zika, embora tenha aparecido nas mesmas regiões que o dengue e chikungunya.
Sabe-se que alcançou a Ásia e a África há pelo menos 50 anos atrás.
Embora possa ter causado picos de microcefalia como parece, não houve testes para definir as causas.
Em 2007, uma cepa passou do Sudeste Asiático para o Pacífico Sul, provocando surtos rápidos nas ilhas, onde ninguém tinha imunidade, mas como as populações insulares são pequenas, raros efeitos colaterais e frequência não foram notados. 
Em 2013, durante um surto na Polinésia Francesa, que tem 270.000 habitantes, os médicos confirmaram 42 casos de síndrome de Guillain-Barré, que pode causar paralisia em cerca de oito vezes superior ao número normal. Foi o primeiro indício de que o vírus Zika pode atacar o sistema nervoso, que incluindo o cérebro.
Em maio passado o vírus foi confirmado pela primeira vez no Brasil, espalhando-se como um incêndio. 
Os primeiros alarmes de microcefalia foram levantados em outubro, quando os médicos do Estado Nordestino de Pernambuco relataram um surto de bebês infectados. 
Pernambuco tem nove milhões de habitantes e 129.000 nascimentos anuais. Num ano típico, nove crianças são microcéfalos.
Os surtos de Zika fora do Brasil, estão ligados à microcefalia fetal?
Na Polinésia Francesa há suspeitas sobre um surto há dois anos atrás.
A Polinésia Francesa é a única área fora do Brasil a ser infectada por um surto de Zika em que autoridades de saúde pública identificaram um aumento no número de fetos e bebês com micorcefalia. 
Não existem suspeitas elevadas de uma ligação entre o vírus Zika e a microcefalia na Polinésia Francesa.
Em novembro passado, na Polinésia Francesa, foi reinvestigado um surto de Zika que durou a partir de outubro de 2013 até abril de 2014.

Copilado e traduzido para português, de uma publicação do York Times. 























sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

SERÃO AS DOENÇAS MENTAIS CONTAGIOSAS?


SERÃO AS DOENÇAS MENTAIS CONTAGIOSAS?

No sentido restrito da palavra, as doenças mentais não são contagiosas como as viroses ou as infecções bacterianas.
Alterações da personalidade, maior probalidade de suicídio, perda da sensibilidade, de sentimentos, superficialidade, frieza nas relações amorosas e de carinho, obstinações, pensamentos grandiosos, delirantes, (vivendas à beira-mar, carros de alta cilindrada, gastos supérfluos), sentimentos de perseguição, de desconfiança, delírios, abuso de álcool e de estupefacientes, gravidez indesejáveis, efeitos laterais dos fármacos, (diabetes e colesterolmia), limitam a autonomia, causam de elevado sofrimento e desgaste tornam estes doentes dependentes dos seus familiares.
As doenças sexuais podem transformar uma doente mental num potencial transmissor de doenças infecto/contagiosa de graves repercussões nos seus familiares e na saúde pública.
Assim podemos afirmar que a convivência sistemática com um doente mental contagia transversalmente todos os membros de uma família, desencadeando estados depressivos, alterações comportamentais e é um factor de risco para os que com eles convivem.

A SEXUALIDADE DO DOENTE BIPOLAR.


DOENÇA BIPOLAR
Um dos capítulos do livro a ser publicado
A SEXUALIDADE DO DOENTE BIPOLAR.
A sexualidade é distorcida.
As perturbações são impulsivas, excessivas e de difícil prevenção.
A doente procura soluções para um problema sexual frequentemente inexistente e os sintomas mais visíveis são encarados como um problema da doença.
Na fase depressiva o sintoma mais visível é a diminuição do desejo sexual pela depressão, cansaço generalizado e pelos medicamentos.
As mulheres têm falta de lubrificação, incapacidade de atingir o orgasmo, uma baixa auto estima e um desinteresse que alastra a todos os parâmetros da sua vida.
Na fase maníaca pode haver uma exacerbação sexual.
O doente parece estar aparentemente normal e não encaram este comportamento como doença.
As infidelidades matrimoniais são frequentemente, registando-se elevado índice de Doenças Sexualmente Transmissíveis em consequência de múltiplos parceiros, em curtos espaços de tempo.
Tem-se registado gravidez indesejáveis, numero elevado de cancros do colo do útero,  infecções ( HPV, HIV, HB, HC, SÍFILIS, HERPES GENITAL, CONDILOMAS, VAGINITES POR BACTÉRIAS, FUNGOS, TRICOMONAS), que põem em risco a saúde do próprio doente, do seu companheiro e de todos com quem tem relações sexuais.
Assim, uma doença mental pode-se transformar numa doença infecto/contagiosa de graves repercussões, sendo, inclusive, um grave problema de saúde pública.
O companheiro que não consegue entender as infidelidades, o que desencadeia graves consequências emocionais nas relações afectivas.
Um companheiro desinformado culpa o doente pelas infidelidades.
Este comportamento obsessivo, afecta a vida familiar, registando-se um elevado índice de separações, crimes passionais como homicídio, duplo homicídio, infanticídio, homicídio seguido de suicídio, violência doméstica e uma preponderância para grupos de troca de casais.
A doença bipolar não é explicada pelas autoridades sanitárias, como tal é normal que se entenda que uma pessoa não pode ter tal comportamento sexual só por causa de uma doença.
 

 

 

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

SOFISMAS

SOFISMAS

"SEGUE A TUA VIDA EM PAZ QUE EU SIGO A MINHA"
Lança-se a bomba e diz-se às vítimas para seguir a vida em Paz.
Que vida? Que Paz?
Será que se refere à vida e à Paz para além da morte?
Alguém pode seguir uma vida em Paz após lhe terem destruído a vida?



"QUERO QUE SEJAS FELIZ"
Alguém pode desejar felicidade a quem desencadeou infelicidade?

Nunca desejei felicidade a quem causei infelicidade. 
Não sou feliz em consequência da infelicidade que semeie ao longo da minha vida.
Com isto fica-me uma grande certeza.
Ninguém será feliz sendo a causa de infelicidade dos que nos amaram. 
E não tenho qualquer dúvida.
"Cá se fazem, cá se pagam".

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

CRONICA DO DIA 25.01.2016

CRONICA DO DIA 25.01.2016.
Dizem que as redes sociais são meios de comunicação onde cada um pode manifestar o seu contentamento e desencantos.
Da parte que me cabe não manifesto qualquer um deles.
Escrevo simplesmente o que tenho que escrever.
Não ofendo pessoal ou veladamente quem quer que seja onde se inclui os políticos.
São simples artigos de opinião, informação na área da medicina, do direito e análises comportamentais com as quais convivo diariamente.
Quem gosta, gosta. Quem não gosta não lê.
Mas, presumindo-se que quem lê os temas que escrevo os vai conectar com alguém que conhece, que eu desconheço, é um problema de quem faz as analogias, as interpretações e de quem as toma para si como verdadeiras.

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

DOIS MILHÕES DE PORTUGUESES POBRE VERSOS "REFUGIADOS" RICOS. VERGOSO



Correndo o risco de ser apelidado de xenófobo, na minha qualidade de contribuinte tenho o direito de ser informado que leva estes políticos imbecis a ter DOIS MILHÕES DE PORTUGUESES POBRES, enquanto os ditos refugiados vindos sabe-se lá de onde tem direito a casa, água, luz, saúde, ensino gratuito, filhos nas Universidades e até jogadores de futebol.
PORTUGAL É A VERGONHA DA EUROPA!

domingo, 17 de janeiro de 2016

PENSAR

ESTOU A PENSAR NO PENSAR
Quando me dirijo para o meu local de trabalho, durante a condução, a minha mente dá inicio a uma sequência de congeminações que se traduzem em pensamento.
Mas afinal o que é o pensamento?
Dizem que são estímulos de reacções químicas internas aos factores ambientais externos. Será?
Em que parte do cérebro se localiza o pensamento?
Quais são os elementos químicos que intervém nessas reacções?
Quais são os elementos químicos que intervém nas reacções de resposta?
Onde se encontram e quais os neurónios que registam o pensamento?
Quais são os elementos químicos que nos dão a sensação do pensamento agradável e desagradável? Do bem e do mal?
Tenho uma enorme dificuldade em deixar de pensar no que sentimentalmente me afecta. Porque será?
Porque será que nas reacções de resposta ajo num sentido emotivo, senão primário e não num passivo, compreensivo, benevolente, bondoso, afectivo, ou até desprezando os que me causam a angustia da tristeza? Quais serão os elementos químicos que intervém neste processo?
Será que o doente mental tem reacções químicas adulteradas impeditivas da pratica do bem?
Procurei nos meus cardápios médicos e não encontrei literatura ciêntifica que me elucidasse sobre assunto tão pertinente. Lia alguns autores voltados para assuntos do cérebro e da mente e nada…
A psiquiatria diz alguma coisa, mas a verdade é que também não sabe.

Eu só queria deixar de pensar por alguns momentos, mas não consigo nem compreendo. 

sábado, 16 de janeiro de 2016

NÃO VOU VOTAR PARA A PRESIDÊNCIA DA REPUBLICA

NÃO VOU VOTAR PARA A PRESIDÊNCIA DA REPUBLICA
Devido às suas limitações territoriais Portugal mais não que uma província constituída por provincianos que na sua maioria são aculturais.
Como provincianos estão-se nas “tintas” para o bem comum, sendo-lhes indiferente o elevado numero de candidatos à Presidência da República Portuguesa.
Candidatos que não tendo a noção da realidade do País e da responsabilidade do cargo, são, também eles, aculturais.
A anti cultura é diariamente fomentada quando afirmam que Portugal é um País de “brandos costumes”
Até se pode admitir que Portugal seja um País de “brandos costumes,” mas é inadmissível que se atribua essa estupidez aos cidadãos portugueses.
Não sendo eu um estupido de “brandos costumes,” se me fosse dado entrevistar os 10 candidatos à Presidência da Republica Portuguesa a primeira questão que lhes colocava era qual o valor que lhes foi atribuído, pago através dos impostos dos portugueses, para a sua campanha.
A segunda questão que considero de mais pertinente era porque razão dão continuidade à mentira politica.  
É sabido que Portugal tem sistema semipresidencialista e que as funções do Presidente da Republica Portuguesa são meramente representativas.
Sendo representativas, o poder é exercido pelos deputados da Assembleia da Republica, o Presidente da República não tem poderes políticos para mudar seja o que for.
Quero com isto dizer que é pura mentira, senão burla, os candidatos à Presidência da Republica andarem, durante a campanha e nas “arruadas,” a prometer aos seus concidadãos que vão melhorar as condições de vida dos portugueses.
Os mentirosos, vendedores de sonhos, e burlões não tem vergonha, por isso mesmo não voto num personagem que não me merece credibilidade.
Faço votos para que hajam alguns milhões de portugueses que fiquem a meditar sobre o que acabo de transmitir.





sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

SERÃO AS DOENÇAS MENTAIS CONTAGIOSAS?


 SERÃO AS DOENÇAS MENTAIS CONTAGIOSAS?
Podemos afirmar que no sentido restrito da palavra, as doenças mentais não são contagiosas como as viroses ou as infecções bacterianas.
Por outro lado, a convivência sistemática com um doente mental é um factor de risco porque geralmente desencadeia estados depressivos e outras alterações comportamentais nos familiares que com eles convivem.
É do conhecimento médico que 80% dos casos das doenças mentais são hereditárias pelo que o estudo dos antecedentes familiares é importante.
A doença mental é de difícil diagnóstico, sendo tanto ou mais grave que uma doença física. Tem graves repercussões nas sensações, emoções e ideias.
Os sintomas conduzem a uma perda de liberdade porque são determinados pela doença, não pela vontade do doente.
Alterações importantes da personalidade e da autonomia tornam estes doentes incapazes de exercer a sua actividade profissional.  
Os familiares devem ser informados sobre as características, evolução e consequências da doença.
A probalidade de suicídio fazem encurtar a esperança média de vida.
As infidelidades matrimoniais são frequentemente nas doentes mentais, existindo casos de múltiplos parceiros em curtos espaços de tempo.
A sexualidade é distorcida, não conseguem raciocinar nem resistir aos impulsos imediatos, registando-se um alto índice de separações, risco aumentado de doenças sexualmente transmissíveis (HIV, HB, HC, SIFILIS, HERPES, Etc..) que transmitem aos seus cônjuge, e gravidez indesejáveis. Assim, uma doença mental pode-se transformar numa doença infecto/contagiosa de graves repercussões.
Pensamentos grandiosos, delirantes, (vivendas à beira-mar, carros de alta cilindrada, gastos supérfluos) fazem parte do quadro clínico.
As obstinações, sentimentos de perseguição, de desconfiança, delírios, abuso de álcool, estupefacientes são a causa de grande sofrimento conduzindo a um desgaste do doente, do  cônjuge, dos familiares e de toda a família. 
Frequentemente manifestam uma perda da sensibilidade, de sentimentos, uma superficialidade, frieza nas relações amorosas e de carinho, que destrói quase por completo todos os sentimentos de quem os ama.  
Tratamento
A medicação só ajuda o doente a deixar de pensar de modo distorcido..
Para convencer o doente mental a iniciar o tratamento, é um processo difícil, longo que deve ser iniciado pela família e profissionais de saúde.
Mantê-los em tratamento também é complicado porque ao menor sinal de melhora podem abandoná-lo.
A interrupção de forma muito brusca, pode desenvolver complicações muito graves.
É comum os pacientes reavaliarem os seus comportamentos algum tempo após o início das consultas e à medida que os medicamentos fazem efeito, passam a agir de forma mais centrada.
Conclusão
Como vimos a doença mental, por mais abrangente, é mais grave que uma doença de foro físico, pelo que perguntamos se devemos abandonar estes doentes à sua sorte.
Como médico responde categoricamente que não.
Vivenciando pessoalmente e em comum com um destes doentes deve-se ponderar as hipóteses de contágios.

 

ESTILO OU GÉNERO LITERÁRIO - INFORMAÇÃO AOS QUE TEM A AMABILIDADE DE ME LEREM



ESTILO OU GÉNERO LITERÁRIO
Informações
Frequentemente sou mal interpretado sobre o que escrevo quanto ao estilo ou género literário.
Muitos dos meus leitores confunde as minhas narrativas com biografia.
Sou advertido pelos amigos e conhecidos pessoais, de há longos anos, que por vezes os meus “contos” configuram exposição da minha vida pessoal.
Em alguns casos não deixo de lhes dar razão, mas quem escreve sobre seja o que for corre esses riscos porque a interpretação dos textos cabe a quem os lê e não a quem os escreve.
Com a devida vénia apresento os meus pedidos de desculpa, mas recuso. a alterar o estilo.
Em todo o caso, é minha obrigação elucidar sobre o que é uma biografia e alguns estilos ou géneros literários:
- LIRICO
caracteriza-se por expressar emoções, sentimentos e sensações, sendo um texto subjetivo. A grande maioria das poesias pertencem a este gênero, mas podem também pertencer ao gênero épico, dramático ou narrativo.
- DRAMÁTICO
tragédia, comédia, tragicomédia, farsa.
- ÉPICO
Característica a presença de um narrador que fala do passado, o que faz com que os verbos apareçam no tempo pretérito.
- NARRATIVO
A narrativa é uma exposição de factos, interligados que ocorrem ao longo de certo tempo e possui elementos básicos na sua composição.
Desenvolve-se em torno de um enredo, a partir do qual se chega ao tema, que é o motivo central do texto.
A narrativa literária pode ser apresentada na forma de prosa e verso estando agrupada em três gêneros: narrativo, lírico e dramático.
Há um narrador, que conta o que acontece, não deve ser confundido com o personagem do texto.
Pode ser um personagem que participa da acção e neste caso trata-se de um narrador em primeira pessoa.
Quando não participa da história, mas apenas relata, trata-se de um narrador em terceira pessoa.
Os personagens de uma narrativa podem ser descritos do ponto de vista físico e psicológico.
Os personagens são o protagonista, antagonista, personagem secundária e figurante. Entre as formas de narrativas em prosa, destacam-se:
- O romance que aborda uma narrativa longa, com vários personagens que vivem diferentes conflitos e cujos destinos se cruzam num enredo narrado numa sequência temporal, podendo contar diferentes tipos de histórias.
Existe uma relação temporal entre os factos, mesmo que não sejam narrados na sequência temporal em que ocorreram, é sempre possível reconstituir essa sequência.
Na sua estrutura apresenta quatro elementos: O narrador, a personagem, o enredo e o tempo.
O narrador conta o que aconteceu.
Pode ser uma das personagens ou relacionar-se com outras e neste caso é um narrador em primeira pessoa.
Personagens são os elementos do texto que praticam as ações e provocam o desenvolvimento da história.
A personagem principal de um romance é chamada de protagonista.
Enredo é o motivo central do texto.
Num romance pode existir o tempo cronológico e o tempo psicológico.
O tempo cronológico é o tempo exterior, marcado pela passagem das horas, dos dias etc. Os factos do enredo podem ser organizados numa sucessão temporal.
O tempo psicológico é o tempo interior que decorre dentro das personagens.
Sendo  subjetivo, não pode ser medido ou calculado.
É o tempo da memória, das reflexões.
- A novela é uma narrativa menos abrangente que o romance, composta de uma série de unidades encadeadas, mas articulada em torno de um personagem central.
- O conto é uma narrativa mais curta, compacta e concentra-se em torno de um só personagem, onde só existe um conflito num espaço de tempo reduzido.
- A crônica possui um texto mais informal, que relata acontecimentos do dia a dia, onde várias vezes o cronista sutilmente denuncia algum problema de ordem social.
- A fábula é uma pequena narrativa que expressa uma mensagem de fundo moral onde os animais que representam tipos humanos.