terça-feira, 11 de outubro de 2016

MEDITAÇÃO, CONDUÇÃO Á ESPIRITUALIDADE OU À MALDADE


MEDITAÇÃO, CONDUÇÃO Á ESPIRITUALIDADE OU À MALDADE
Desloquei-me ao Tribunal da Relação, da Cidade do Porto - Portugal, o que de per si significa envolvimento em processos judiciais para a resolução de conflitos.
A cerca de vinte metros situa-se a Igreja de São José das Taípas, de estilo neoclássico, construída em 1795.
O pavimento do corpo da Igreja é constituído por catacumbas conforme se observa na foto ora publicada
Sentei-me, no silencio da Nave meditei sobre quais os mecanismos cerebrais que induzem o homem a manifestar a sua espiritualidade na pintura, escultura, musica, letras, nos monumentos imponentes dirigidos em louvor de um Ser Supremo, chamemos-lhe DEUS.
Esses homens e mulheres, dos quais milhares ficaram e ficam no anonimato da história, manifestaram e manifestam a beleza e a bondade da mente humana.
Por outro lado, as mentes perversas que meditam no sentido contrário transportaram e transportam a humanidade para catástrofes inimagináveis de sofrimento, destruição e morte.
Transcende a compreensão, pelo menos a minha, como é que estes últimos perduram, ao longo dos tempos, na memoria colectiva na historia da humanidade.
Claro que existem os homens Santos e Sábios, mas o conhecimento dos seus “feitos” é muito restrito.
A bondade e o amor sendo-nos inerente, são suplantadas pela ambição que indubitavelmente nos conduz ao ódio e à destruição do outro.

Meditei qual será o centro e em que parte cerebral se localiza a bondade e o amor, a maldade e o ódio, o pacifista e o guerreiro que em nós existe. NÃO ENCONTREI RESPOSTAS.