segunda-feira, 1 de agosto de 2016

CRÓNICA DO DIA 01 DE AGOSTO DE 2016


CRÓNICA DO DIA 01 DE AGOSTO DE 2016
Publica-se na integra o texto “comovente” da distinta escritora “Elisagabriel” candidata ao Prémio Nobel da Literatura da hipocrisia, manipulação e da mentira.
«O caso verídico da minha amiga Sílvia:
Covardia é atacar, apunhalando, alguém que achamos mais frágil.
Na verdade, a falta de carácter alia-se à cobardia.
A cobardia reveste a cara da crueldade e do princípio "não olhes a meios para atingir os teus fins", retratando pessoas cruéis e sem escrúpulos.
O caso muda de figura quando os atacantes são da área da saúde.
Sim, Sílvia ganhou uma propensão para estados depressivos e é medicada, se calhar para a vida inteira. E assim consegue ter uma vida normal. Mas onde está o mal? É como se lhe faltasse a tiróide e teria de compensar por aporte hormonal vitalício, ou se sofresse de diabetes e teria de tomar insulina.
Ninguém deveria saber a "doença da minha amiga", mas 3 pessoas encarregaram-se de o gritar na Comunidade!
E uma Psicóloga, um Médico (ex-companheiro de Sílvia) e o ex-marido de Sílvia, aliado à recente companheira Psicóloga, querem levar Sílvia, de preferência ao fundo do poço.
Quando o objectivo é meter-se no emprego de alguém, tirar-lhe o filho e por fim a saúde, ofendendo a sua "reputação", dignidade, gritando a todos a fragilidade de Sílvia, pressupõe-se que essas pessoas deveriam ser acusadas de não cumprir os princípios éticos de suas profissões, que são sujeitas a normas éticas/ de conduta.
Só me apetecesse chorar pela minha amiga Sílvia, sim muito. Embora seja pouco de chorar.
Um dos objectivos das retaliações são os ciúmes e a vingança. 
Mas vingar-se de Sílvia, que já tem a sua cruz, por pessoas da área da saúde e pelo ex-marido de Sílvia (pouco preocupado com isto tudo) é um verdadeiro "complot" com vista a levar Sílvia, a minha melhor amiga, quem sabe a um "suicídio".
Porque não estamos propriamente na altura, nem nunca estivemos, de se brincar com o emprego de ninguém, muito menos com alguém que sabemos, lutou imenso, para chegar onde está, mais ainda porque tem as tais propensões.
Também não se brinca a tirar o filho desta mulher, que tanto merece o filho que tem!
Assim, Sílvia está a ser injuriada, discriminada de forma gravosa, coagida emocionalmente, tratada de "gorda", diz-lhe o ex-marido que "não presta!" e que "não vale nada!".
A Psicóloga trata a minha amiga por gorda, vaca, prostituta.
Hoje decidi contar a história da minha amiga Sílvia porque a vejo triste, sem ânimo, chorosa, com pouca auto estima, com pouca força de vontade.
Eu preferia não falar disto publicamente, mas a saúde da minha amiga e a vida dela estão a ser profundamente atacadas e a sua reputação denegrida.
Por favor deixem a minha amiga em paz, porque senão teremos que recorrer à justiça para proteger e defender a minha amiga, que além disto tudo anda também a ser ameaçada na sua integridade física.»
COMENTÁRIO
Lendo-se com atenção presume-se que a história da Sílvia amiga do “coração” da distinta escritora está muito mal contada. Para além disso, mais uma vez, a escritora devassa a vida privada da sua “grande amiga.”
Covardia, falta de carácter, crueldade, falta de escrúpulos é trair, humilhar e descartar, como se um ser humano fosse lixo.
Desconheço o caso, mas sendo verdade que Sílvia é portadora de doença crónica, que “controlada” com medicação diária faz com se mantivesse estável, entende-se que não a deve auto suspender.
Segundo a distinta escritora, Sílvia devassou e devassa a sua vida privada e de quem a rodeia e amava.
Uma vez que a distinta escritora refere que a sua “amiga” divulga a doença aos desempregados que recorrem ao seu local de trabalho, aos seus “amigos” das redes sociais, da net, dos sites de “engate.” etc… é contraditório dizer-se que foi o ex. marido, o ex. companheiro ou a actual companheira do ex. marido que divulgou ou divulga a “doença.”
Acusando o ex. companheiro, o ex. marido ou a sua actual companheira de ameaças à integridade física, de lhe chamarem gorda, que não presta, vaca, prostituta, mais não reflecte que  delírios persecutórios com mania de perseguição.
Desconheço quais os objectivos, dos visados, de “levar a Sílvia ao fundo do poço.”
Será mesmo vingança e ciúmes?
Que terá feito Sílvia para que o ex. marido, o ex. companheiro, e a companheira do ex. marido, se queiram vingar?
Poderá dizer-se que existe, auto estima, reputação e dignidade quando, segundo narrativas da distinta escritora, Sílvia introduz, na residência do marido e da casa dos pais, na ausência do marido e do  ex. companheiro, o Daniel, o Russo, o Miguel, o Gabriel, do Miguel de Viseu, vai à Figueira receber reconecções do Victor, anda ao “engate do Victor de Lisboa, do Márcio de Felgueiras,  do Sérgio das massagens tântricas, do Daniel de Lille, tudo isto no espaço de 8 meses?
Sílvia não é tão inocente, coitadinha, ou boazinha como pretende deixar transparecer.
De facto a doença de Sílvia é comovente e faz chorar “lágrimas de crocodile”
A DOENÇA JUSTIFICAM, MAS NÃO DEVIA JUSTIFICAR, A MENTIRA, O DESRESPEITO, A TRAIÇÃO, A HUMILHAÇÃO, O SOFRIMENTO QUE DESENCADEIAM NOS QUE AMAM UM DESTES DOENTES.