domingo, 3 de julho de 2016

6ª CONFISSÃO PUBLICA DE UM DOENTE BIPOLAR

6ª CONFISSÃO PUBLICA DE UM DOENTE BIPOLAR
«Vidas futuras, após a Vida... Um negócio...Sempre aquele de amedrontar...Eu só sei que tenho esta Vida...É nesta vida que tenho de tentar dar o melhor de mim... Se eu chegar a essa conclusão.
Karmas, Infernos, Paraísos, é tudo o mesmo discurso...E o despojamento total de desejo e sentimentos, é a criação de um não humano. E Ego tem que existir, com desejos, expectativas, necessidades e sentimentos. Contra a religião, muitos criam novas amarras parecidas com "religiões" e vendem o" gato por lebre"!
O mais importante é ter consciência crítica e nunca perdê-la. Não gosto de rebanhos, não gosto de Pseudo-líderes carismáticos e incontestáveis porque representam um Perigo para a Humanidade, todos eles!!!!!! Aqueles que nos querem por a pensar de uma só forma, referindo que é a certa, serão sempre um Perigo para a Humanidade. Admiro certas figuras como Jesus, o Dalai Lama, a Madre Teresa de Calcutá, e, e...Atrás de um flautista, foram as crianças de um lugar.
Até pessoas católicas têm Medo da Morte e não acreditam, muitas sobremaneira, na Vida após a Morte. Um dia da minha vida, experimentei, na altura, uma regressão e naquele momento deixei de ter medo da morte porque acreditei que havia vida após a morte.
Desabafei com uma amiga que foi logo dizer ao meu marido, na altura, que eu não andaria bem: porquê????? Porque deixara de ter medo da morte por convicção de que haveria vida eterna. Quem me dera ter ainda essa certeza! Penso que será um questionamento pessoal que existirá sempre em mim ao longo da minha vida.
Apesar de me ter tornado adepta de filosofias positivas, refiro aqui que "viver não é fácil" ou "não é tão fácil assim" e estar no tal estado de equilíbrio que alguns "pregam" nem sempre é possível. Um dia de cada vez porque o equilíbrio nem sempre se consegue. O Yin e o Yang têm de existir e eles terão de existir em ti, algum dia, para se puder dizer que foste humano.
Sofre e chora o que tens a gritar; ri e canta a tua alegria. Como uma balança, um dia estou mais yin, outro mais yang.
E quem pensa mais, sofre mais, penso eu, porque questiona mais o conhecimento das coisas, porque não aceita só porque tem que ser assim, porque é crítico das coisas.
Cuidado com as teorias positivas, por vezes mais parecidas com "reprogramações cerebrais" que podem fazer com que algumas pessoas, carenciadas num determinado momento de afeto e com algum vazio interior, deixem de estar com os pés bem assentes na terra e voam para a Lua.
Certa vez, conheci alguém das teorias positivas, o qual disse de uma forma insensível a quem não estivesse bem com a vida, para se despedir dela (do emprego, do casamento, etc.); bem, este tipo de palavras pode levar a um suicídio laboral, amoroso e depois quem sabe a um verdadeiro suicídio.
Por isso, minha gente o sentido crítico é muito importante e essas pessoas aproveitam-se é claro da fragilidade emocional daqueles que os procuram (infelizmente a maior parte das vezes para encher os bolsos e alimentar o ego).
Cuidado, eu digo sim a muitas filosofias positivas, mas de pé atrás, porque muitas mais se parecem com seitas».
Publicada por Elisagabriel
COMENTÁRIO
A autora critica e diz não acreditar nas vidas futuras nos Karmas, Infernos, Paraísos, porque despojam os desejos e sentimentos, criam novas amarras parecidas com "religiões" e vendem o" gato por lebre"!
Adverte “Cuidado com as teorias positivas, por vezes mais parecidas com "reprogramações cerebrais" que podem fazer com que algumas pessoas, carenciadas num determinado momento de afecto e com algum vazio interior, deixem de estar com os pés bem assentes na terra e voam para a Lua.
Acusa «conheci alguém das teorias positivas, o qual disse de uma forma insensível a quem não estivesse bem com a vida, para se despedir dela (do emprego, do casamento, etc.); bem, este tipo de palavras pode levar a um suicídio laboral, amoroso e depois quem sabe a um verdadeiro suicídio».
Entretanto frequenta seitas como Sukyo Mahikari bruxarias, cartomantes como Eugénia Fortuoso, hipnoterapias e reconexões com Victor Manem e outros charlatões que dela abusaram e extorquiram e que como ela muito bem refere «aproveitam-se é claro da fragilidade emocional daqueles que os procuram» e fazem «reprogramações cerebrais que podem levar a um verdadeiro suicídio». 
Dada à fragilidade emocional em que ela se encontra, presumo que estes abusos merecem a investigação da Policia Judiciária ou do Ministério Público. 
A doente devia ser juridicamente impedida de utilizar as redes sociais já que, como ela própria confessa encontra-se emocionalmente frágil e tem sido presa fácil

destaca-se a indicação "QUEM NÃO ESTIVER DE BEM COM A VIDA QUE SE DESPEÇA DELA" o que a autora entende, muito bem, como uma forma da a induzir ao suicídio. 
Relembra-se que tem uma filha com 10 anos. 
Este Victor Menem, indicou-lhe que devia suspender a medicação e fumar uns charros. 
Caso de Policia.