quarta-feira, 22 de junho de 2016

COMO A JUSTIÇA PORTUGUESA TRATA OS MENORES.

CASO VERÍDICO
Acabei de ir buscar o meu filho, de 15 anos de idade, à sua mãe da qual estou separado há cerca de 8 anos.
Pago 600€ de pensão de alimentos.
O meu filho dorme na sala de jantar num divã.
Desde há 5 anos que requeri ao Tribunal de Família a redução da pensão de alimentos.
Desde há dois que o meu filho espera ser ouvido no Tribunal de Família, para denunciar as condições em que vive.
Desde há 8 anos que a mãe do meu filho vive com o maqueiro, cujo vencimento ronda os 500€ mensais.
Segundo o meu filho o maqueiro não contribui para as despesas da casa nem para a sua alimentação.
Hoje, segundo o meu filho, foram jantar, Robalo, à Ribeira, que como se sabe não é nada barato.
Perguntei ao meu filho quem pagou, ao que ele respondeu.
- ESTAVAS À ESPERA DE QUÊ?
- FOI A MÃE!
- A MÃE DIZ QUE O MAQUEIRO GANHA POUCO E QUE NÃO PODE PAGAR.
"Na minha terra" cidade do Porto, um homem que vive à custa de uma mulher e do pai do filho dessa mulher é um presumido proxeneta.
Como é do conhecimento jurídico, a prática do proxenetismo é uma actividade ilícita.
Se a Justiça, que tem obrigação de defender os direitos juridicamente protegidos dos menores, age desta maneira que exemplo é dado aos agentes da autoridade que colocam em risco a sua própria vida para auferir uns míseros 800.€?.
Mais que isso ganha o presumido proxeneta com o beneplácito do Tribunal.
Pior é que o maqueiro também é segurança na Spde - Segurança Privada E Vigilância Em Eventos, Lda. do tal EDU,
Em tempos ameaçava o meu filho que lhe matava e F. o focinho ao pai, diga-se que por várias vezes me ameaçou,
Agora com este envolvimento confesso que tenho algum receio. Esta semana seguirá novo requerimento para o TRIBUNAL DE FAMÍLIA E MENORES DE VILA NOVA DE GAIA, na expectativa de não me acusarem que faço um "cem numero de denuncias" porque estou cheio de ciumes.
É verdade e consta dos despachos.
GRAVE É QUE ESTA MÃE NÃO VÊ QUE PARA SUSTENTAR O MAQUEIRO ESTÁ A ROUBAR O SEU PRÓPRIO FILHO.
POIS! É A MÃE E POR ISSO NÃO É UM CASO DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA.
BOA NOITE!
VOU DAR UNS MIMOS AO MEU FILHOTE.