quinta-feira, 16 de junho de 2016

COMA OU MORTE CEREBRAL?

MORTE CEREBRAL OU COMA.
Na minha qualidade de obstetra, transcende a minha compreensão, quiçá por ausência de conhecimento e ignorância cientifica, o “alarido” em redor do Lourenço Salvador, que foi gerado e nasceu às 32 S, após 15 S de a sua mãe ter entrado em morte cerebral.?
Questionar os conhecimentos científicos dos meus distintos colegas é questão que está completamente excluída, até porque seria anti deontológica.
Peço desculpa pelas minhas dúvidas e manifestação de ignorância, mas agradava-me de sobre maneira consultar todo o processo para adquirir conhecimentos.
Estaria em coma ou em morte cerebral?
Havia ou não actividade bioeléctrica cerebral?
O cérebro da gestante estava ou não a ser irrigado? Caso não estivesse ao fim de 15 semanas não entraria em decomposição?
Se o doente estiver monitorizado com meios, ainda que mecânicos de suporte de “vida,” que mantenham em funcionamento os órgãos vitais (coração, pulmões, fígado, rins) e que a placenta continue a “alimentar” o feto, não se me vislumbra as dificuldades em mantê-lo vivo na cavidade uterina.
Quantos doentes já estiveram em morte cerebral? ou coma? e “vivos” porque se mantinham “ligados à máquina”, como dizem os leigos.

Mais uma vez desculpem manifestar e ser um leigo na matéria.