sábado, 16 de janeiro de 2016

NÃO VOU VOTAR PARA A PRESIDÊNCIA DA REPUBLICA

NÃO VOU VOTAR PARA A PRESIDÊNCIA DA REPUBLICA
Devido às suas limitações territoriais Portugal mais não que uma província constituída por provincianos que na sua maioria são aculturais.
Como provincianos estão-se nas “tintas” para o bem comum, sendo-lhes indiferente o elevado numero de candidatos à Presidência da República Portuguesa.
Candidatos que não tendo a noção da realidade do País e da responsabilidade do cargo, são, também eles, aculturais.
A anti cultura é diariamente fomentada quando afirmam que Portugal é um País de “brandos costumes”
Até se pode admitir que Portugal seja um País de “brandos costumes,” mas é inadmissível que se atribua essa estupidez aos cidadãos portugueses.
Não sendo eu um estupido de “brandos costumes,” se me fosse dado entrevistar os 10 candidatos à Presidência da Republica Portuguesa a primeira questão que lhes colocava era qual o valor que lhes foi atribuído, pago através dos impostos dos portugueses, para a sua campanha.
A segunda questão que considero de mais pertinente era porque razão dão continuidade à mentira politica.  
É sabido que Portugal tem sistema semipresidencialista e que as funções do Presidente da Republica Portuguesa são meramente representativas.
Sendo representativas, o poder é exercido pelos deputados da Assembleia da Republica, o Presidente da República não tem poderes políticos para mudar seja o que for.
Quero com isto dizer que é pura mentira, senão burla, os candidatos à Presidência da Republica andarem, durante a campanha e nas “arruadas,” a prometer aos seus concidadãos que vão melhorar as condições de vida dos portugueses.
Os mentirosos, vendedores de sonhos, e burlões não tem vergonha, por isso mesmo não voto num personagem que não me merece credibilidade.
Faço votos para que hajam alguns milhões de portugueses que fiquem a meditar sobre o que acabo de transmitir.