quarta-feira, 30 de setembro de 2015

PARA QUEM GOSTA DE POESIA

AS MÃOS

Cumpridas, finas e delicadas.
Talvez abençoadas.
Alimentam, limpam as secreções.
Indicam o caminho,
Enquanto és menino.
Te afagam na tristeza.
Da incerteza
Da vida.
Entrelaçam-se num movimento de paixão
De amor e gratidão.
Secam as lágrimas,
A quem chora
Por alguém a quem se ama
Se foi embora.
Juntam-se para rezar
E pedir a Deus para te “levar.”
Seguram a bengala quando a velhice chegar.
Escrevem versos de amor, de tristeza, de alegria
Do sentir a existência de cada dia.
Abençoam em nome de Deus, segundo a crença.
Pintam na tela a vivência.
Dedilham as cordas do violino,
As teclas do piano,
Os pistões do trombone,
do saxofone, em perfeita sinfonia.
Calejadas
Do jardineiro,
Do pedreiro,
Do escultor,
Do sapateiro,
Do canalizador
Do lavrador.
Do padeiro que amassa o pão que te sustenta.
Do carteiro das boas e más noticias que te atormenta.
Do cirurgião que abrindo o ventre te fez nascer
Do enfermeiro que te ajuda a viver,
Do juiz que condena o inocente,
E lava as mãos como Pilatos
Porque aquele não é gente.
Do indigente,
Que pede esmola
Do carrasco que em nome da liberdade
te degola, te esfola, te explora.
Que te prega na cruz, como fizeram a Jesus.
Do militar que contra ti dispara e mata sem razão.
Pode o amor residir no coração.
Mas a maldade está na palma, na beleza e na simplicidade
Da tua mão.

Haverá parte do corpo humano mais contraditória?


quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Homens velhos/ mulheres novas; Mulheres velhas/homens novos.

Hoje puseram-me a questão do velho e do novo.
Decretou-se, desconheço por quem, que o ser humano tem as seguintes fases: 
Bébé, criança, adolescente, jovem, jovem adulto, júnior, velho, e velhinho.
Bébé até que começa a andar.
Criança até aos 12/13 anos - 10 anos
Adolescente até aos 18 anos - 5 anos
Jovem até aos 35 - 17 anos
Adulto até aos 50 - 15 anos
Júnior até aos 65 - 15 anos
Velho, daí para cima.
Ora como vemos, 30 anos das nossas vidas adultas são passados durante a velhice, ou seja entre os 35 e os 65.
No meu tempo um "jovem" de mais de 30 anos era um trintão.
Um de 40 era um quarentão e se fosse mulher uma quarentona já ninguém lhe "pegava" como se dizia na altura. 
O meu pai faleceu com 43. Era um júnior ou um jovem?
Os meus avós entre os 60 e os 70. Eram juniores velhinhos?
As minhas avós depois dos 95. Eram o quê? Velhíssimas? 
O meu tio avô que tinha uma voz de tenor foi pai aos 85, acusavam os meus tios e era verdade, era um velhinho?
Um carro ao fim de 5 anos é velho.
Um jogador de futebol é velho aos 35
Mais exemplos poderia dar sobre o conceito relativo de velho e novo. 
Conheço muitos jovens novos com cabeça de velhos e muitos velhos com cabeça de novos.
Um "velho" de mais 65, já viveu os 65 e será que um jovem de 40 chegará aos 65? Exemplo: O meu Pai.
Um "velho" nunca será um velho mas antes um ser humano com mais idade e só será idoso que tiver capacidade física para lá chegar. 
Devemos respeitar os mais idosos conquanto são "poços" de sabedoria.
Nunca esquecer que quem tem 30, ou 40 anos se viver metade, só metade, do que já viveu daqui por 20 anos terá 60, portanto e na óptica dos imbecis um "velho"
Somos o que somos mas nunca uns velhos nem uns velhinhos.
Isto vem a propósito dos homens "velhos" com mulheres mais novas e as mulheres mais novas com homens mais velhos.
Os homens mais velhos compreendem melhor as mulheres mais novas, e quando amam, amam mesmo, 
Os homens mais novos normalmente vêm nas mulheres mais velhas um "objecto sexual" 
Da minha experiência clínica mais tarde ou mais cedo acabam por as deixar. 
Caso clínico: Um homem mais velho adora amar, sentar-se com a sua companheira junto ao mar ao pôr do sol, ou ao Luar.
Em termos de doenças temos as disfunções sexuais, as hipertrofias benignas da prostata, os cancros das prostata e outras doenças sistémicas inerentes a ambos os sexos.
De mão dada ou sobre o ombro meditam, beijam-se e sussurram palavras de amor. 
Pela ordem cronológica, pode-se colocar a questão da morte antes delas. 
Agora o contrario: 
Da minha experiência clínica:
Ele mais novo 10 ou 20 anos. 
Gosta de discotecas, vidas nocturnas, mulheres mais novas, vida sem objectivos, sem realização pessoal, e normalmente sem nada na cabeça.
Suponhamos que ele tem 30 e ela 40. 
Quando ele tiver 40, ela tem 50, e quando ele tiver 50 ela terá 60. 
Aos 50, salvo raras excepções vem a menopausa, o colosterol, a Hipertensão, a diabetes tipo II, as artroses, as incontinências urinarias, a atrofia vaginal, os prolapsos uterinos, os cistocelos, os rectocelos, as doenças das mamas, dos ovários, do útero, a panícula adiposa na cintura, as mamas descaídas, a gordura no cachaço, as varízes nas pernas, a perda de massa muscular, a protrusão do ventre, queda de pelos púbicos ou brancos, etc.. Dirão: "Que tétrico". Mas é assim mesmo. 
A situação piora aos 60, e assim sucessivamente. 
Que faz ele? Vai na procura das mais novas. 
Elas, coitadas, acabam por ficarem sozinhas e velhas. 
Vivam a vida com um "velhinho" que vos ame e deixem para lá as más línguas.
Sejam felizes enquanto podem e com quem vos faz feliz e vos ama. 
A quem me apelida de "velho" deixo-vos o exemplo do meu tio avô Pedro de Brito. O tal que tinha voz de tenor e foi pai aos 85 anos.
VIVAM OS VELHOTES!!!!

terça-feira, 15 de setembro de 2015

O SISTEMA FISCAL PORTUGUÊS É CORRUPTO E FRAUDULENTO

É do conhecimento Público e internacional que em Portugal o sistema fiscal é corrupto e fraudulento.
As execuções e penhoras fiscais ilícitas são praticas comuns.
Os agentes de execuções fiscais, que tem funções privadas, permitem-se impunemente penhorar salários e bens que utilizam em proveito próprio.
O problema torna-se tanto mais grave quando as vítimas ficam juridicamente impossibilitadas de se defender por falta de meios económicos.
Desta forma ilícita os burlões que "gerem" o País e que são pretensos candidatos ao Poder, impunemente dão continuidade às suas actividades criminosas enriquecendo bem como os seus "amigos" que lhes "garante" o futuro enquanto milhares de portugueses são remetidas para a fome e miséria social.
Este é o Portugal profundo que se propõem agora aceitar "refugiados, migrantes, emigrantes ou seja lá o que for.
Que grande lata!