domingo, 29 de março de 2015

O BES - A POCILGA E A GAMELA DOS PORCOS

Naquele tempo havia um reino, com uma enorme pocilga denominada BES.
Nas pocilgas existem as "gamelas" onde os porcos se alimentam.
Os produtores de porcos alimentavam diariamente os seus porcos enchendo as suas gamelas.
Mas os produtores desconheciam que o chefe da vara de porcos também alimentavam outros porcos que ocupavam lugares hierárquicos na governação do reino.
Um dia, por insolvência, o chefe da vara de porcos ficou sem a possibilidade de alimentar todos os porcos.
Foi-lhes pedir ajuda.
Ajuda que os porcos, muito bem nutridos e posicionados na governação do reino, lhe negaram.
Como já não havia alimentos para todos, os porcos revoltaram-se e denunciaram o chefe da vara de porcos como sendo o causador de todas as desgraças.
O chefe da vara de porcos que até então era designado como o "Pai disto tudo" passou a ser o porco mais indigente do reino.
Os produtores que alimentavam os porcos também se revoltaram e exigem a devolução dos investimentos, chamado papel comercial, que fizeram na pocilga e nas varas dos porcos.
Os governantes dos reino, eleitos com dinheiros provenientes de ofertas do chefe da vara decidem abrir um inquérito a que chamam pomposamente inquérito parlamentar.
Os inquéritos parlamentares não são uma novidade do reino.
Sempre que existem crimes de burla, abusos do poder, lavagem de capitais, fugas e fraudes fiscais, facturas falsas, bancos falidos, que envolvam instituições estatais e membros da governação, naquele reino instaura-se inquéritos parlamentares que não conduzem à responsabilização criminal.
Servem para ilibar e proteger os porcos que governam o reino.
Apesar de tudo os cidadãos do reino continuam a alimentar esta vara de porcos o que não é de difícil compreensão porque e salvo raras excepções todos procuram uma gamela onde lhes seja permitido chafurdar como bons porcos que são.
Hoje, 29.03.2015, foi publicada uma frase que se cita: "FUI E SOU ABORDADO POR MUITOS CIDADÃOS MAS EXPLICO QUE SÃO OS TRIBUNAIS QUE JULGAM"
Se são os tribunais que julgam pergunta-se qual o interesse e o objectivo dos inquéritos parlamentares?
Presume-se que tais inquéritos mais não servem que para alimentar e dar continuidade à sobrevivência dos porcos. 
No reino existem cerca de seis milhões de cidadãos activos dos quais dois milhões vivem abaixo do limiar da pobreza e uma em cada três crianças passa fome. 
Os jovens do reino emigram para outros Países.
No entanto, foi dito que "os cobres do reino estão cheios de dinheiro."
No reino dos porcos os produtores honestos mais não pretendem que lhes sejam devolvidos os investimentos sejam eles, ou não. papel comercial.
Depois da devolução dos investimentos os porcos que se entretenham a devorar-se uns aos outros. 

quinta-feira, 19 de março de 2015

O SISTEMA FISCAL PORTUGUÊS - A LISTA VIP DAS FINANÇAS E OS PILHA GALINHAS.

Não se compreende o "ruído" em torno das Listas VIP existentes, ou não, no sistema Tributário Português.
Diz o artigo 68º B da Lei geral Tributária do Direito Tributário.
Contribuintes de Elevada Relevância Económica e Fiscal
1. Sem prejuízo dos princípios que regem o procedimento tributário, designadamente os princípios da legalidade e da igualdade , a administração tributaria pode, atendendo à elevada relevância económica  e fiscal dos contribuintes, considera-los como grandes contribuintes para efeito do seu acompanhamento permanente e gestação tributaria.
2. Compete ao Director geral da Autoridade Tributaria e Aduaneira, determinar, em função de critérios previamente definidos , a integração de contribuintes de elevada relevância económica e fiscal no grupo de grandes contribuintes e, de entre estes, quais os que devem ter acompanhamento permanente em matérias não aduaneiras por gestor tributário.
3. O critérios a que se refere o número anterior são fixados em portaria pelo membro do governo responsável pela área das finanças e servem para determinar a eventual relevância económica e fiscal dos contribuintes e a sua qualificação ou desqualificação como grandes contribuintes, devendo abranger
a) as entidades com um volume de negócios superior a montante a definir,
b) As Sociedades Gestoras de Participações Sociais, constituídas nos termos do Decreto-Lei nº 495/88, de 30 de Dezembro, com valor total de rendimento superior a montante a definir,
c) As entidades com valor global de pagamento de impostos superior a montante de definir,
d) As sociedades integradas em grupos abrangidos pelo regime especial de tributação dos grupos de sociedades, nos termos do artigo 69º do Código do IRC, em que alguma das sociedades integrantes do grupo, dominante ou dominada, seja abrangida pelas condições definidas em qualquer das alineas anteriores.
e) As sociedades não abrangidas por qualquer das alíneas anteriores que sejam consideradas relevantes atendendo à sua relação jurídica ou económica com as sociedades abrangidas por essas alíneas. 
Sendo certo que as Leis são elaboradas pelos deputados existentes na Assembleia da República, que mais não são que "lacaios" ao serviço do Ricardo e outros Burlões existente em Portugal a que chamam contribuintes de elevada relevância.
E, sendo essas Leis aprovadas pelo Governo e homologadas pelo senhor Presidente da República, não se compreende o ruído que envolve as listas VIP.
Havendo contribuintes de elevada relevância económica obrigatoriamente terá de haver uma lista, VIP ou não VIP, de contribuintes que defina a tal relevância económica.
O grave é que este artigo viola os Princípios da legalidade e da Igualdade consagrados na Constituição da República Portuguesa.
O senhor Paulo vangloria-se de ser e melhor e o mais eficaz cobrador de impostos e do combatente ás fraudes e evasão fiscal.
O senhor Paulo, a soldo de burlões que se titulam governantes deste triste País, é a antítese do Zé do Telhado, português que roubava os ricos para distribui pelos pobres. 

Estes indivíduos são uns autênticos pilhas galinhas quando deviam ser caçadores de tubarões..
É de difícil compreensão porque não são enviados para Évora.
O senhor Ricardo Salgado é que lhes dá "tanga"

terça-feira, 17 de março de 2015

QUÍMICA - MEDICINAS ALTERNATIVAS - MEDITAÇÕES TRANSCENDENTAIS - TAROT - REIKI E OUTRAS MICORDIAS

Na natureza nada acontece sem reacções químicas.
As plantas crescem desenvolvem-se em função de trocas químicas.
Os animais, independentemente de serem mamíferos, aves, repteis, peixes, insectos, vírus ou bactérias, desenvolve-se, nascem, crescem, movimentam-se, envelhecem e morrem em função de uma infinidade de reacções químicas.
Ver, ouvir, sentir, cheirar, desgostar, interpretar, agir, mais não são que funções químicas de milhares de milhões de pequenas células vivas compostas de elementos químicos específicos para cada função que interagem entre si.
Atente-se que é suficiente uma pequena alteração química no interior de uma única célula para que todo o organismo se deteriore e seja conduzido à falência, aqui entendida como morte. 
Estas reacções chegam aos centros de tratamento e selecção que chamamos de cérebro, ou centro nevrálgico, por impulsos.
Aí chegadas, todas as reacções são centralizadas, tratadas, seleccionadas e armazenadas em função da sua própria funcionalidade.
A questão é como uma simples reacção química é seleccionada e armazenada em função da sua especificidade. 
Qual é a reacção química que nos conduz à dor, ao prazer, à pena, à alegria, ao riso, à tristeza, ao choro, à euforia, à depressão, à loucura, à imbecilidade, à revolta, à passividade, ao amor, ao ódio. à observação, ao pensamento, à análise, à inteligência, à ciência?
Porque será que perante os mesmos factos ou idênticos reagimos de forma totalmente diferente e antagónica?
Porque será que sendo a funcionalidade química igual em todos os seres vivos, somos todos diferentes?
Porque será que sendo quimicamente iguais temos fisionomia totalmente diferente que mais não é que a nossa própria identificação?
E porque será que uns tem doenças e outros não?
E porque será que as doenças atingem orgãos específicos diferentes de individuo para individuo e uns morrem do coração ou com uma neoplasia (cancro) em determinados locais e outros não?
E porque será que até as próprias células neoplásicas tem características químicas diferentes?
Porque será que uns morrem mais precocemente que outros?.
Porque será que uns são pacíficos e outros não?
Porque será que os QI são diferentes?
E porque será que dizemos que uns são imbecis e outros sobre dotados?
Sabemos quais são  os centros de tratamento, mas desconhecemos, nem nunca vamos conhecer, quais os elementos químicos que condicionam aqueles estados.
Ninguém tem o privilégio de ter acesso um cérebro vivo que permita investigar como, em cada célula se processam os registos químicos que nos permitem memorizar, pensar, analisar e registar o conhecimento que adquirimos ao longo das nossas vidas.
Num cérebro morto supõem-se que esteja tudo "apagado,"
Como médico sei que as minhas questões nunca terão resposta mas...
O meu conhecimento não vai além daquela massa cinzente composta por um emaranhado de células especificas repletas de elementos químicos.
A química transforma-se em energia toda ela positiva.
As energias negativas são enexistentes. A existir contrariavam o conceito de energia.
O negativismo está em cada um de nós ou nos elementos químicos que accionamos para os interpretar de forma negativa.
No entanto não deixam de ser reacções químicas e portanto energia positiva.
A questão é que não aceitamos a morte e procuramos refúgios em vidas que no meu modesto entender não existem.
Em todo o caso não me abstenho de reconhecer que "Alguém" nos "construiu" conforme somos.
Chamemos-lhe Deus a quem rezo diariamente pedindo-lhe perdão pelos meus pecados.
      

quinta-feira, 12 de março de 2015

O PRIMEIRO MINISTRO FRANCÊS E AS CAUSAS VERDADEIRAMENTE INTOLERÁVEIS.

Diz a imprensa diária que o senhor Primeiro Ministro Francês e cito:
«Alertou para a presença de jovens europeus a combater nas fileiras do Estado Islâmico. Que no momento actual são 3.000, deverão ser 5.000 até ao Verão e no final do ano talvez 10.000. Que estamos perante uma Europa enredada no labirinto da banca, dos credores, do dinheiro, que despreza a vários níveis os seus jovens e os deixa caídos nas bermas» Fim de citação.
Ao que disse o senhor Primeiro Ministro Francês deve-se acrescentar os milhões de Europeus que passam fome, as famílias na pobreza que só em Portugal são dois milhões, as crianças que passam fome que em Portugal é uma em cada três, os sem abrigo, os milhões de desempregados, os crimes de burla, as corrupções a nível dos dirigentes políticos, os tráficos de influências, as fugas ao sistema fiscal, as lavagens de capitais, os offshores, os banqueiros corruptos e ladrões portugueses dos bancos BES, BPP, BPN, que subsidiaram os Partidos do Arco Governativo e até um Presidente da Republica, os vistos gold que trazem para Portugal dinheiro proveniente de um País dito Comunista, onde se pratica a pena de morte, mas que não é importante para o senhor Vice Primeiro Ministro Português e alguns Políticos Portugueses, um nunca mais findar de burlas.
Por fim diz o senhor Primeiro Ministro Francês e volto a citar:
«Essa negligência terrível atira os jovens para causas verdadeiramente intoleráveis». Fim de citação.
Será que o senhor Primeiro Ministro Francês se encontra em pleno estado das suas faculdades mentais?
Será que o senhor Primeiro Ministro Francês entende que as «causas verdadeiramente intoleráveis» são exclusivas do Estado Islâmica?
Será que o senhor Primeiro Ministro Francês não entende ou não quer entender que a miséria social que ocorre em Portugal, Espanha, Grécia, e até em França são uma consequência da política de destruição da economia e da soberania dos Estados membros da União Europeia enquanto a Alemanha da Senhora Merkel continua a enriquecer são também CAUSAS VERDADEIRAMENTE INTOLERÁVEL? É OU NÃO É?
Cumpre esclarecer que não defendo o Estado Islâmico, mas tenho a consciência que foram os ocidentais que e com as suas políticas económicas do lucro e do dinheiro fácil construíram não só o Estado Islâmico mas outros terroristas que lhes seguirão.