quarta-feira, 11 de novembro de 2015

PARA QUEM GOSTA DE POESIA - ROSAS VERMELHAS

ROSAS VERMELHAS
Na turbulência da vida
Após acesa discussão,
Sobre um nada,
Que perturba, confunde, a minha alma penada
Que procura e não encontra a Paz desejada
Na mulher idealizada, amada que encontrei.
Que não sei
Se ela será capaz de retribuir
O mesmo sentir
Deste “velho” coração
Já de si tão cansado.
Pela manhã, o Sol entrava pela janela
Brilhava!
Sem vontade de me erguer, nela pensava.
Como um “jovem” apaixonado desejava morrer!
De repente,
A minha mente
Solta o impulso de me levantar.
Para ela corri
Para nos seus lábios depositar
Um beijo, longo e apaixonado.
Sussurrei-lhe: Obrigado!
Obrigado a Deus por te pôr no meu caminho.
Por te amar.
Pedi-lhe perdão
Pela falta de compreensão do dia anterior.
Manifestei gratidão
Oferecendo-lhe sete rosas vermelhas
Com muito amor.
Nelson de Brito
 Alguém entende as paixões?
Maia 11.11.2015