sábado, 8 de agosto de 2015

PRESSÃO


SINTO A PRESSÃO

Por onde quer, que vá
Sinto a pressão
Da corrupção
Do BES
Do BPP
Do BPN
Do Vara
Do Sócrates
Do Rendeiro
Do Ricardo
Do Lima
Do Paulo
Do Dias
Do Valentim
Do Oliveira
Do Coelho
Do Melancia
Do Penedo
Do Jorge
Do Rui Pedro
Do Pinheiro
Da Tributação
Da coima
Da contra-ordenação
Da taxa
Que me subtrai
A imposição
Do IVA
Do IMI
Do IRS
Do IRC
Do IUC
Da TUS
Da ATA
Da PSP
Da GNR
Do INSR
Da EP
Do SEF
Da ASAE
Do Radar
Da Ascendi
Do Tribunal
Do Estado Policial
De seu nome Portugal
Do Seguro
Da factura dos resíduos sólidos,
Da água, da luz,
Do gás.
Das operadoras
Que não me deixam em paz  
Da prestação da casa
Dos financiamentos
E, de outros pagamentos
Que me fazem meditar
Como sou capaz
De viver
Nesta “harmonia”
Que me retira
A alegria
Do ser.
Apetece-me desistir
E, Fugir.
Só me resta a esperança
Da liberdade
De pensar
Enquanto a não poderem contabilizar
Controlar,
Taxar,
Retirar.

Quando esse dia chegar
Não desejo cá ficar.