sábado, 13 de dezembro de 2014

O SENHOR RICARDO SALGADO (BES) E OS DEPUTADOS DO INQUÉRITO PARLAMENTAR

Os portugueses não entendem porque razão o senhor Ricardo Salgado é inquirido pelo grupo Parlamentar e o senhor José Sócrates esta detido e é inquirido pelo sistema judicial.
Mas não é isso que é interessante neste momento.
Interessante é a sobranceria do senhor Ricardo Salgado quando inquirido responde ás perguntas dos senhores deputados.
Olha para eles com desprezo e o caso não é para menos.
Na mente do senhor Ricardo Salgado passa-se o seguinte:

- AFINAL O QUE É QUE ESTES "PALHAÇOS" QUEREM DE MIM?
- ESTÃO ALI SENTADOS A FAZER PERGUNTAS QUANDO SABEM, MAS QUEREM ESQUECER,  QUE SE NÃO FOSSE O MEU DINHEIRO NÃO ESTARIAM NO PODER

No meio daqueles "treteiros" há um que sobressai pelas suas perguntas imbecis, e pelo qual tenho um especial afecto.
Deixa-me triste porque o imbecil é meu conterrâneo.

Este País é um atoleiro.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

O SISTEMA TRIBUTÁRIO PORTUGUÊS, O BANCO PRIVADO PORTUGUÊS, O CIDADÃO ANÍBAL CAVACO


Em Portugal só é permitido andar na via pública em meios de transportes públicos ou de bicicleta.
Se um funcionário das finanças observar que um cidadão circula num automóvel de gama média ou alta toma-lhe a matricula, consulta o sistema informático para saber se os rendimentos do condutor ou do proprietário estão de acordo com as declarações do Imposto de Rendimento Singular (IRS).
Não importa saber se o condutor do veículo é um simples condutor ou se o seu proprietário o adquiriu em segunda mão.
O fundamento é que o funcionário das finanças entendeu que o dito veículo é um sinal exterior de riqueza e como tal o seu proprietário é suspeito de fuga aos impostos ainda que seja inocente.
Em analise, depreende-se que em Portugal só se pode ser pobre, de preferência muito pobrezinho ou "sem abrigo".
Portanto há que "sugar" o máximo aos contribuintes até que se tornem uns sem abrigo.
A pobreza em Portugal já atinge quase um milhão
Este tipo de vigilância nem na RÚSSIA da era soviética existiu.
Entretanto os dinheiros provenientes dos impostos dos pobres servem para subsidiar submarinos, e Bancos Privados falidos ou semi falidos como o Banco Espírito Santo, o Banco Privado Português, ( mais 400 milhões) o BPN, O BANIF entre ouros que os portugueses desconhecem.
No meio de todas estas burlas, veio a Público que o cidadão Aníbal Cavaco Silva, recebeu 253.600€ do senhor Ricardo Espírito Santo para subsidiar a sua candidatura a Presidente da República.
Três funcionários das finanças foram submetidos a processos disciplinares porque andaram a investigar as declarações do Imposto de Rendimento Singular (IRS) do cidadão Pedro Passos Coelho.
Estes tipos não tem qualquer sentido mínimo de vergonha nem de pudor e os portugueses honestos que ainda restam, perguntam-se em que País vivem.
Certamente que não é no País de ALICE,
dizem mesmo que é o País dos "IRMÃOS METRALHA" ou no País do ALI BABA E OS  400.00 LADRÕES.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

RICARDO SALGADO (BES) VS PASSOS COELHO, VS CAVACO SILVA; VS JOSÉ SÓCRATES

Sabe-se que o senhor Ricardo Salgado, conduziu o Banco Espírito Santo à falência lesando milhares de pequenos e médios accionistas.
Sabe-se que um "amigo" do senhor Ricardo Salgado lhe ofereceu 14 milhões de euros que depositou em offshores.
Sabe-se que o senhor Ricardo Salgado transferiu 3,6 mil milhões de euros do Banco Espírito Santo para destino incerto.
Sabe-se que o senhor Ricardo Salgado apresentou uma caução de 1,5 milhões de euros para não ser detido.
Ora se o senhor Ricardo Salgado disponibilizou 1,5 milhões de euros para não ser preso, os Portugueses interrogam-se porque razão o meritíssimo juiz não deteve o senhor Ricardo Salgado e reservou os 1,5 milhões de euros para pagar aos accionistas.
Sabe-se que o senhor Ricardo Salgado pediu ao senhor Pedro Passos Coelho, 2,5 mil milhões de euros para recapitalizar o Banco Espírito Santo.
Duas questões se colocam:
Se o senhor Ricardo Salgado pediu ao cidadão Pedro Passos Coelho, 2,5 mil milhões de euros não é do interesse dos contribuintes portugueses.
Seria mais um caso de investigação judicial porque não nos parece que os rendimentos do cidadão Pedro Passos Coelho não lhe permitiriam dispor de tão elevada quantia para emprestar ao senhor Ricardo Salgado.
Se o senhor Ricardo Salgado pediu ao senhor Primeiro Ministro, Pedro Passos Coelho 2,5 mil milhões de euros para recapitalizar o Banco Espírito Santo o caso é bem diferente, porque implica os interesses dos contribuintes.
Interessa saber qual a relação de amizade entre o senhor Primeiro Ministro de Portugal e o senhor Ricardo Salgado que permita a este último pedir dinheiros Públicos para subsidiar bancos privados.
É que sendo verdade que o senhor Ricardo Salgado pediu ao senhor Primeiro Ministro 2,5 mil milhões de euros todo e qualquer cidadão, como eu, em situação económica difícil, têm o mesmo direito de o fazer.
Seria interessante saber-se quantos milhões de euros o senhor Ricardo Salgado deu para as campanhas eleitorais dos Partidos Políticos.
Seguindo a mesma linha de pensamento,seria também interessante saber-se qual a "conversa dita privada" entre o senhor Ricardo Salgado e o cidadão Aníbal Cavaco e Silva, 
Se essa conversa foi entre simples amigos ou se foi uma conversa entre o banqueiro Ricardo Salgado e o Presidente da Republica Portuguesa.
É de difícil entendimento o Estado Português recapitalizar bancos privados com dinheiros provenientes dos impostos dos portugueses, segundo o Principio "rouba-se aos pobres para encher os bolsos dos Bancos Privados.
Diz-se que o senhor ex-Primeiro Ministro de Portugal, José Sócrates, está preso por branqueamento de capitais, fraude fiscal, e corrupção activa no valor de 20 milhões de euros.
Os portugueses interrogam-se: 
                                - O que são 20 milhões de euros num universo de 6 mil milhões?
Enquanto o ex-Primeiro Ministro, José Sócrates foi investigado e interrogado pela Policia Judiciária, pela Autoridade Tributária e Aduaneira, pelo Ministério Pública, o banqueiro Ricardo Salgado é submetido a inquérito pelos deputados da Assembleia da República.
Em 09.12.2014, os Portugueses tiveram a oportunidade de assistir a parte desse inquérito sendo opinião generalizada que "aquilo" mais não é que um circo.
É público que o senhor ex-Primeiro Ministro, José Sócrates foi jantar com o ex-Procurador Geral da República.
Em consequência a distinta Procuradora Geral da República determinou um inquérito para investigar se houve ou não violação do segredo de justiça.
Os Portugueses interrogam-se porque razão a distinta Procuradora Geral da Republica não determinou um inquérito para investigar as conversas havidas entre o senhor Primeiro Ministro Pedro Passos Coelho e o senhor Presidente da República senhor Aníbal Cavaco e Silva.
Este tipo de comportamento confirma o conceito geral que os Portugueses tenha da justiça que se pratica em Portugal ou seja uma para "Pobres de 20 milhões de euros" uma para "ricos de 6 mil milhões de euros.
Questão É QUEM PAGA ISTO TUDO?
Facilmente se depreende que uma investigação judicial e policial profunda, sem limitações ou impedimentos políticos, mais de 50% dos que dirigem este triste País de desempregados, doentes, famintos e muito pobres, estariam na prisão.

.

  

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

EX. PRIMEIRO MINISTRO - JOSÉ SÓCRATES - CORRUPTO?

CÓDIGO PENAL PORTUGUÊS

Artº 372
Se José Sócrates consentiu, ratificou, solicitou ou aceitou vantagens patrimoniais e não patrimoniais indevidas, pergunta-se:
                                   - QUAL É A IDENTIDADE DO CORRUPTOR?
Artº 373
Corrupção Passiva.
Se José Sócrates consentiu, solicitou ou aceitou vantagens patrimoniais ou não patrimoniais ou qualquer promessa para a prática de um qualquer ato ou omissão contrários ao dever do cargo Público, pergunta-se: 
                                  - QUAL A IDENTIFICAÇÃO DO CORRUPTOR?

Artº 374
Corrupção Acriva.
Se alguém der ou prometer a funcionário público ou a terceiro por indicação, ou com conhecimento do funcionário, vantagens.patrimoniais ou não patrimoniais, pergunta-se:

                                              QUEM DEU OU QUEM PROMETEU?

Não se nega a presunção de inocência, nem o grau de culpabilidade de José Sócrates. Mas, sem se saber que é, ou quem são os CORRUPTORES, a detenção de José Sócrates é duvidosa senão surrealista.
Quando a Assembleia da República Portuguesa aprova leis que beneficiam os corruptores como as grandes empresas de construção civil, imobiliárias, e o sistema financeiro contribui, indubitavelmente, para a existência de corruptos.
Para a boa decisão da causa entende-se que os corruptores já deviam de ter sido identificados e detidos, com quanto não se viole o segredo de justiça.
Investigue-se os Partidos Políticos que recebem comparticipações dos banqueiros e das grandes empresas ligadas à Construção Civil.
Investigue-se os deputados que fazem as leis.
Investigue-se quem as homologa. 
Investigue-se as concessionárias e os seus acionistas que exploram as ex-SCUTS, as auto-estradas portuguesas, AS ÁGUAS, OS TRANSPORTES, AS ELÉCTRICAS, ETC.
Investigue-se a Autoridade Tributária e Aduaneira.
Investigue-se os Institutos e as IPSS. (Instituições Públicas de Solidariedade Social)
Obter-se-ão muitas respostas e certamente que os milhares que gerem o País irão fazer companhia ao ex.Primeiro Ministro José Sócrates.