sábado, 20 de setembro de 2014

OS TERRORISTAS

Num significado simplista é-nos permitido afirmar que terrorista são os que utilizam métodos violentos, homicídios individuais ou colectivos, afim de imporem às sociedades as suas ideologias ou ideais.
Violam as normas instituídas e por essa razão são ilegais.
Os seus comportamentos e atitudes violentas espalham o terror principalmente quando atingem inocentes desarmados.
Numa visão mais ampla um terrorista mais não é que alguém que se revela contra as "normas" que lhe são impostas pelos terroristas legais.
A diferença reside no facto de que os terroristas legais não usa métodos violentos, nem cometem homicídios para dizimar os povos.
Os terroristas legais, não usam armas, utilizam as "normas" que eles próprios concebem e que os fazem enriquecer de uma forma ilegítima à custa dos seus concidadãos.
Cidadãos esses que eles, os "terroristas legais" vão lentamente matando à fome ou lançando-os para o desemprego ou para a emigração em nome da democracia, do BCE, do FMI, da TROIKA, do deficit e de outras "merdas" que eles próprios inventam para "sugar" os suor do trabalho sobrecarregando-os com impostos.
Os EUA, os Franceses, os Australianos, os Ingleses, a EU, os Russos e outros, enviam os seus militares em "missão" com a finalidade de "abater" os primeiros que mais não são que uns ignorantes primários que mal sabem pegar numa arma e por via disso é que se "vingam" nos inocentes e desarmados.
No entanto, em nome da democracia e dos interesses económicos dos banqueiros, empreiteiros, e fábricas de armamento, há países que  permitem que os "terroristas" legais massacrem o seu próprio, inocente e desarmado povo.  
Onde está a diferença entre uns e outros?  
A diferença é que os terroristas ilegais são às centenas senão aos milhares enquanto que os legais são em menor quantidade mas muito mais nocivos.
Comentem homicídio de uma forma menos exuberante e mais subtil.