quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

RICARDO SALGADO (BES) VS PASSOS COELHO, VS CAVACO SILVA; VS JOSÉ SÓCRATES

Sabe-se que o senhor Ricardo Salgado, conduziu o Banco Espírito Santo à falência lesando milhares de pequenos e médios accionistas.
Sabe-se que um "amigo" do senhor Ricardo Salgado lhe ofereceu 14 milhões de euros que depositou em offshores.
Sabe-se que o senhor Ricardo Salgado transferiu 3,6 mil milhões de euros do Banco Espírito Santo para destino incerto.
Sabe-se que o senhor Ricardo Salgado apresentou uma caução de 1,5 milhões de euros para não ser detido.
Ora se o senhor Ricardo Salgado disponibilizou 1,5 milhões de euros para não ser preso, os Portugueses interrogam-se porque razão o meritíssimo juiz não deteve o senhor Ricardo Salgado e reservou os 1,5 milhões de euros para pagar aos accionistas.
Sabe-se que o senhor Ricardo Salgado pediu ao senhor Pedro Passos Coelho, 2,5 mil milhões de euros para recapitalizar o Banco Espírito Santo.
Duas questões se colocam:
Se o senhor Ricardo Salgado pediu ao cidadão Pedro Passos Coelho, 2,5 mil milhões de euros não é do interesse dos contribuintes portugueses.
Seria mais um caso de investigação judicial porque não nos parece que os rendimentos do cidadão Pedro Passos Coelho não lhe permitiriam dispor de tão elevada quantia para emprestar ao senhor Ricardo Salgado.
Se o senhor Ricardo Salgado pediu ao senhor Primeiro Ministro, Pedro Passos Coelho 2,5 mil milhões de euros para recapitalizar o Banco Espírito Santo o caso é bem diferente, porque implica os interesses dos contribuintes.
Interessa saber qual a relação de amizade entre o senhor Primeiro Ministro de Portugal e o senhor Ricardo Salgado que permita a este último pedir dinheiros Públicos para subsidiar bancos privados.
É que sendo verdade que o senhor Ricardo Salgado pediu ao senhor Primeiro Ministro 2,5 mil milhões de euros todo e qualquer cidadão, como eu, em situação económica difícil, têm o mesmo direito de o fazer.
Seria interessante saber-se quantos milhões de euros o senhor Ricardo Salgado deu para as campanhas eleitorais dos Partidos Políticos.
Seguindo a mesma linha de pensamento,seria também interessante saber-se qual a "conversa dita privada" entre o senhor Ricardo Salgado e o cidadão Aníbal Cavaco e Silva, 
Se essa conversa foi entre simples amigos ou se foi uma conversa entre o banqueiro Ricardo Salgado e o Presidente da Republica Portuguesa.
É de difícil entendimento o Estado Português recapitalizar bancos privados com dinheiros provenientes dos impostos dos portugueses, segundo o Principio "rouba-se aos pobres para encher os bolsos dos Bancos Privados.
Diz-se que o senhor ex-Primeiro Ministro de Portugal, José Sócrates, está preso por branqueamento de capitais, fraude fiscal, e corrupção activa no valor de 20 milhões de euros.
Os portugueses interrogam-se: 
                                - O que são 20 milhões de euros num universo de 6 mil milhões?
Enquanto o ex-Primeiro Ministro, José Sócrates foi investigado e interrogado pela Policia Judiciária, pela Autoridade Tributária e Aduaneira, pelo Ministério Pública, o banqueiro Ricardo Salgado é submetido a inquérito pelos deputados da Assembleia da República.
Em 09.12.2014, os Portugueses tiveram a oportunidade de assistir a parte desse inquérito sendo opinião generalizada que "aquilo" mais não é que um circo.
É público que o senhor ex-Primeiro Ministro, José Sócrates foi jantar com o ex-Procurador Geral da República.
Em consequência a distinta Procuradora Geral da República determinou um inquérito para investigar se houve ou não violação do segredo de justiça.
Os Portugueses interrogam-se porque razão a distinta Procuradora Geral da Republica não determinou um inquérito para investigar as conversas havidas entre o senhor Primeiro Ministro Pedro Passos Coelho e o senhor Presidente da República senhor Aníbal Cavaco e Silva.
Este tipo de comportamento confirma o conceito geral que os Portugueses tenha da justiça que se pratica em Portugal ou seja uma para "Pobres de 20 milhões de euros" uma para "ricos de 6 mil milhões de euros.
Questão É QUEM PAGA ISTO TUDO?
Facilmente se depreende que uma investigação judicial e policial profunda, sem limitações ou impedimentos políticos, mais de 50% dos que dirigem este triste País de desempregados, doentes, famintos e muito pobres, estariam na prisão.

.