domingo, 6 de abril de 2014

OS NOSSOS INIMIGOS. QUEM SÃO ELES?

OS NOSSOS INIMIGOS. QUEM SÃO ELES?

As relações interpessoais são caracterizadas por:
Os desconhecidos. 
Sabemos da sua existência mas não temos com eles qualquer relação pessoal, social, cultural, económica ou afectiva.
Entre nós e eles, não existe qualquer relação de amizade ou inimizade. Não são nossos inimigos. 
No entanto, os interesse políticos, económicos, geoestratégicos fazem com que esses desconhecidos se tornem nossos inimigos levando-nos a combatê-los sem sabermos as razões do combate.
Em termos pessoais não são inimigos e não entendo porque temos de os matar.

Os conhecidos
São aqueles com que diariamente nos cruzamos. Na via publica, no elevador, no cinema, no hospital, nos transportes colectivos, etc.
Sabemos da sua existência porque diariamente os observamos.
Como com os desconhecidos, não temos qualquer relação económica, social, cultural ou afectiva. Não são nossos inimigos, porque e até nos são indiferentes.

Os vizinhos.
Com estes existe alguma relação vivencial de proximidade. 
Essa relação poder ter um componente social, cultural e económico comum. Estes podem se tornar nossos inimigos.

Os amigos
Podem ser proveniente de um dos dois acima descritos. 
Após se tornarem nossos amigos, criarem laços de alguma afectividade podem deixar de os terem e transformar-se num dos nossos piores inimigos. 
Acontecem quando deixamos de ter "interesse" em especial o económico.
Nos tempos que decorrem, nunca confiar.  

Os  familiares
Com estes, para além da proximidade, do conhecimento da sua existência, dos laços familiares, da consanguinidade, temos relações afectivas umas muito fortes e outras mais superficiais.
É entre estes que acontece o amor/ódio; a atração/rejeição.
Quando o amor se transforma em ódio e a atração em rejeição surge as inimizades graves os e com estas os inimigos. 
É no seio destes que surgem os abandonos de crianças, de idosos, as agressões físicas, e os crimes violentos como os homicídios
Quando existem interesses económicos em discussão observamos que as esposas e os esposos, os filhos, os irmãos, os sobrinhos,  os tios,os primos, etc. se degladiam entre si, agridem e matam.

Amigos verdadeiros não existem com excepção dos encontrei quando cumpri o meu serviço militar ONDE NINGUÉM FICAVA PARA TRÁS AINDA COM O SACRIFÍCIO DA PRÓPRIA VIDA.

Fujo dos familiares, dos vizinhos e dos conhecidos porque se podem tornar meus "amigos"

Se não tiveres amigos, NÃO TENS INIMIGOS DE CERTEZA ABSOLUTA.