sexta-feira, 14 de março de 2014

TEORIAS.

REBUSCANDO OS MEUS PAPEIS ENCONTREI UMA QUANTIDADE DE TEORIAS ESCRITAS HÁ JÁ ALGUNS ANOS QUE POR ACTUALIZADAS NÃO ME INIBO DE AS PUBLICAR.
É UM ERRO DEPLORÁVEL PRETENDER QUE OS FILHOS SIGAM OS RASTOS DOS SEUS PAIS PORQUE SE CORRE O RISCO DE SE CONDICIONAR O DESENVOLVIMENTO DA SUA PERSONALIDADE.
IMAGINAÇÃO
É decepcionante porque é não traduz uma verdadeira realidade. Tanto serve como verdadeiro como falso.
É nela que muitos se apoiam para enganar e ou intimidar.
Incute-se a imaginação de "o diferente", "o superior", "o mítico", etc. como é o caso dos Tribunais e do seu aparato, Das mulheres de virtude. Dos parapsicológicos. De alguns médicos.
Se os médicos tivesse a verdadeira arte de curar não necessitariam do "APARATO" e da menos verdade das coisas (o principio de anemia; princípios de de pneumonia, etc.)
É necessário criar nos outros a imaginação do aparato, do mítico, do irreal para se conseguirem impor.
O militar impõem-se pela força ou exibindo a força criando a imaginação de força que por vezes não tem.
A imaginação faz do "belo" o que não é. Do justo o que é injusto. Toma de felicidade o que por vezes é infeliz.
Os sentidos das falsas aparências enganam a razão.
As paixões da alma perturbam os sentidos e produzem-lhe falsas impressões.
Aquilo que muitas vezes queremos é com frequência um quase nada mas a nossa imaginação pode transformar em uma montanha.

NADA HÁ DE MAIS INFELIZ QUE UM HOMEM DOMINADO PELA IMAGINAÇÃO (PLÍNIO).

Temos um desejo infinito de encontrar uma base para a construção dos nossos anseios e desejos.
No entanto não há alicerce que perdure pelo que, a todo o momento tudo pode ruir.
Não devemos buscar pontos de fixação porque haverá sempre uma desilusão provocada pela inconstância das aparências.
Se as aparências fossem eliminadas não haveria desilusões.
Poderia desejar, construir e atingir a plenitude dos meus desejos para minha satisfação e sem a angustia que tudo possa ruir.
Fico com a tranquilidade de espírito porque sei qual o lugar em que me encontro na natureza.
Partindo da premissa que sou mais inteligente que alguns, na analise das coisas, reconheço que me encontro muito longe dos extremos.
NÃO HÁ OS INFINITAMENTE SÁBIO NEM OS INFINITAMENTE BURROS.
Fazendo uma auto análise e auto crítica veremos que estamos limitados e que não conseguimos ir muito longe.
Para se conhecer o todo implica conhecer a parte.
Em ciência médica é mandatório conhecer parte por parte, já que se encontram em interligação, afim de chegar ao todo.
EXEMPLO: Um ser humano tem relação com tudo o que conhece. Precisa de um local para viver. Calor e alimento.Tempo para durar. Movimento para ser. Ar para respirar.
Para conhecer-mos o Homem necessitamos de saber as suas origens, ver os seus movimentos, saber das suas necessidades, numa cadeia infinita do conhecimento.
A incapacidade para conhecer-mos as coisas deve-se ao facto de elas serem simples.
A nossa diferença deve-se ao facto de sermos compostos de duas naturezas totalmente opostas. A ALMA E O CORPO..
NESTA REALIDADE DA NATUREZA RESIDE A NOSSA ANGUSTIA.
A alma rege-se por pensamentos sublimes incompatíveis e muitas vezes inteligíveis pelo corpo.
O corpo não se sublima, antes prende-se com motivações materiais que lhe são inerentes e muitas vezes não necessárias. 
EXEMPLO: se tenho um só corpo porque tenho cinco camisas?
A alma pode controlar o corpo e subordiná-lo às suas necessidades mínimas e indispensáveis. Aí a Alma pode sublimá-lo e limitar o seu desejo e angústia. Assim sendo, o homem será feliz já que não irá mais além das suas necessidade básicas.
SE SOMOS SÓ NATURALISTAS NADA EXISTE NO NOSSO SABER.
SE SOMOS MATERIALISTAS OU ESPÍRITO NÃO CONHECEMOS PERFEITAMENTE A SIMPLICIDADE DAS COISAS. 
O homem é o maior prodígio da natureza, no entanto ele não sabe o que é o corpo e o que é o espírito.
Desconhece como um corpo contêm um espírito ou um espírito um corpo.
Transcende a compreensão humana como o espírito contêm o corpo ou este o espírito. No entanto, o homem é a soma de ambos. (Santo Agostinho).