domingo, 29 de setembro de 2013

XEQUE AO REI

ACABEI AGORA MESMO DE LER NO JORNAL DE MAIOR TIRAGEM DE PORTUGAL, O JORNAL DE NOTICIAS, QUE E PASSO A CITAR: "CENTENAS DE PESSOAS MARCHARAM ONTEM EM MADRID PELA ABOLIÇÃO DA MONARQUIA E PARA PEDIR A ABERTURA DE UM NOVO PROCESSO CONSTITUINTE".
QUANTO AO NOVO PROCESSO CONSTITUINTE ESTOU PLENAMENTE DE ACORDO.
QUANTO À ABOLIÇÃO DA MONARQUIA SOU COMPLETAMENTE CONTRA.
SEJA O REI O QUE QUER QUE SEJA, RECONHEÇO-LHE ELEVADA DIGNIDADE. O MESMO DIREI DA FAMÍLIA REAL, COM ELEVADO APREÇO PELO PRÍNCIPE.
DESCONHEÇO À QUANTO ANOS O REI EXERCE O PODER, MAS SEI QUE FOI DESDE A MORTE DE FRANCO.
QUANTO À SUSTENTABILIDADE DO SISTEMA MONÁRQUICO SERIA INTERESSANTE DISCUTIR NO ENTANTO QUANDO COMPARADO COM O SISTEMA DITO REPUBLICANO NÃO HÁ DISCUSSÃO QUE SE LHE SOBREPONHA, VEJAMOS.
COMO ANTES DIZIA, DESCONHEÇO HÁ QUANTO TEMPO O REI DE EXERCE O PODER.
SE COMETEU FRAUDES FISCAIS, BANCÁRIOS, DESVIOS DE DINHEIROS PÚBLICOS COM TRANSFERÊNCIAS PARA AS ILHAS CAYMAN, NÃO SABEMOS NEM É DO CONHECIMENTO PUBLICO.
PORTANTO, SE DEFRAUDOU OS SEUS CONCIDADÃOS, O QUE NÃO ME PARECE SER VERDADEIRO DEVE O TER FEITO NO INICIO DO SEU REINADO.
QUERO COM ISTO DIZER QUE SE "ROUBOU", JÁ "ROUBOU" O QUE TINHA DE "ROUBAR."
NO SISTEMA REPUBLICANO, ONDE OS MANDATOS SÃO DE QUATRO OU DE CINCO EM CINCO ANOS OS "GATUNOS", OU LADRÕES INSCRITOS NOS PARTIDOS POLÍTICOS, REVEZAM-SE DE TEMPOS EM TEMPOS, SAEM UNS E ENTRAM OUTROS, OU SEJA: TEMOS SEMPRE "CARAS" NOVAS A ROUBAR E A PROTEGEREM-SE UNS AOS OUTROS.
ALÉM DISSO SOMOS OBRIGADOS A SUSTENTAR AS SUAS REGALIAS E MORDOMIAS QUANDO DEIXAM DE SER PODER.
DEIXO BEM CLARO QUE ESTE "ARTIGO" NÃO É DIRIGIDO AO SENHOR PRESIDENTE NEM EX. PRESIDENTES DA REPUBLICA PORTUGUESA, PELOS QUAIS TENHO ELEVADO APREÇO, CONSIDERAÇÃO E RESPEITO. 
PELO QUE ME É DADO CONHECER SEMPRE OS ENTENDI E ENTENDO COMO PESSOAS HONRADAS E HONESTAS, COM EXCEPÇÃO DE UM CASO DE ACÇÕES NO BPN, SE É QUE FOI OU HOUVE ALGUM CASO.
EM PORTUGAL, NO PRESENTE MOMENTO, OS PORTUGUESES SUSTENTAM QUATRO EX. PRESIDENTES DA REPUBLICA, NÃO SEI QUANTOS EX.PRIMEIROS MINISTROS, PRESIDENTES DA ASSEMBLEIA DA REPUBLICA, E ASSIM POR DIANTE, QUE MANTÊM AS MESMAS REGALIAS E MORDOMIAS DE QUANDO ERAM PODER.
ORA EU PERGUNTO:
QUE SERÁ MELHOR MANTER AS REGALIAS E MORDOMIAS DE UM ÚNICO REI QUE SE PERPETUA NO TEMPO ATRAVÉS DOS SEUS HERDEIROS, OU DE QUATRO OU CINCO ANOS ANDAR A MUDAR DE REIZINHOS MANTENDO-LHES AS REGALIAS QUE SÃO EXTENSIVAS AOS SEUS PRINCEPEZINHOS, PRINCESAZINHAS?

OS ESPANHÓIS QUE SE CUIDEM!  

DEPOIS NÃO SE QUEIXEM!

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

TEORIA SEM CONSPIRAÇÃO - CONCEITOS MÉDICO/LEGAIS

O TEXTO É DE MINHA AUTORIA, MAIS NÃO SENDO QUE PURA FICÇÃO.
QUALQUER SEMELHANÇA COM FACTOS VERÍDICOS É PURA COINCIDÊNCIA.

UM HIPOTÉTICO SOGRO, TRANSPORTANDO AO COLO A SUA HIPOTÉTICA NETA, ASSASSINA A TIRO, NA PRESENÇA DA CRIANÇA, O HIPOTÉTICO GENRO, PRESUMIDO PROGENITOR DA MENOR, O QUAL SE ENCONTRAVA DIVORCIADO DA FILHA DO HOMICIDA.

PRIMEIRA TEORIA: SUPONHAMOS QUE O HOMICIDA É PAI ADOPTIVO DA MÃE DA CRIANÇA.
LOGO, A CRIANÇA NÃO É SUA NETA NEM O PROGENITOR É SEU GENRO.

SEGUNDA TEORIA: SUPONHAMOS QUE O HOMICIDA É O PAI BIOLÓGICO DA MÃE DA SUA NETA E QUE COMETEU UM CRIME DE INCESTO.
ENTÃO O HOMICIDA É O PAI E AVÔ BIOLÓGICO DA CRIANÇA.
QUER ISTO DIZER QUE A VITIMA É DE FACTO  GENRO DO HOMICIDA MAS NÃO É O PAI BIOLÓGICO DA CRIANÇA.

TERCEIRA TEORIA: PARTINDO DO PRINCIPIO QUE A MÃE DA CRIANÇA É FILHA ADOPTIVA DO HOMICIDA E QUE ESTE É O PAI BIOLÓGICO DA CRIANÇA O CRIME DE INCESTO DEIXA DE TER LUGAR.
NO ENTANTO, A VITIMA NÃO É GENRO DO HOMICIDA, NEM O PAI BIOLÓGICO DA CRIANÇA.

SEGUINDO AS TRÊS TEORIAS NÃO ENCONTRAMOS EM NENHUMA DELAS QUALQUER FUNDAMENTO QUE JUSTIFIQUE O CRIME DE HOMICÍDIO  E MUITO MENOS NA PRESENÇA DE UMA CRIANÇA,

QUARTA TEORIA: PODE-SE PRESUMIR DA OMISSÃO DE UM CRIME DE INCESTO OU DE UM REGISTO DE PATERNIDADE ILEGAL.
SERÁ QUE A VITIMA ASSUMIU A PATERNIDADE DE UM FILHO QUE NÃO ERA SEU E QUE POR ESTA RAZÃO FOI BARBARAMENTE ASSASSINADO?

ENTENDE-SE QUE MEDICO LEGALMENTE SERIA DE TODA A CONVENIÊNCIA A REALIZAÇÃO DE TESTES DE PATERNIDADE.

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

COADOPÇÃO

Hoje, enquanto na sala de um advogado esperava pela consulta, fui " passando o tempo" lendo um artigo do Dr. Marinho Pinto, distinto Bastonário da Ordem dos Advogados, que admiro incondicionalmente.
Publicava na revista da Ordem dos Advogados um artigo sobre a coadopção de crianças por homossexuais.
Porque é pertinente e porque o seu raciocínio nunca me "passou pela cabeça" não me inibo de o transcrever.
Dizia ele que se um criança for adoptada por dois homossexuais do sexo masculino, terá três pais. A saber:
O pai biológico e mais os dois "pais" adoptivos.
No caso de o casal de homossexuais masculinos se separarem, e o que ficou com a criança voltar a casar com outro homem, a criança ficará então com quatro pais.
Assim a criança terá o numero de pais conforme o individuo que a adoptou se vá divorciando e casando.
Sendo um casal de lésbicas a criança passará a ter três mães.
Seguindo o mesmo raciocino a criança terá um numero de mães conforme o numero de divórcios e casamentos que a mãe adoptiva levar a efeito.
ORA ENTÃO DIGAM-ME LÁ SE OS LEGISLADORES, A ASSEMBLEIA DA REPUBLICA, O PRESIDENTE DA REPÚBLICA QUE HOMOLOGA AS LEIS E A JUSTIÇA PORTUGUESA SÃO OU NÃO SÃO BRILHANTES.
AUTÊNTICOS GÊNIOS!!
DEVIAM SER PROPOSTOS PARA PREMIOS NOBEL.
Irão dizer que sou maxísta, fascista, racista, discriminador, contra a liberdade sexual, etc.
Por acaso até nem sou!
No entanto E AS CRIANÇAS ? E O DESENVOLVIMENTO DA SUA PERSONALIDADE?
 

domingo, 22 de setembro de 2013

OS TERRORISTAS

HOJE, APÓS TER OUVIDO NA COMUNICAÇÃO SOCIAL DE "MAIS UM ATAQUE TERRORISTA" PERGUNTEI-ME.
PORQUE HÁ TERRORISTAS?
ORA, NO MEU MODESTO ENTENDER, OS TERRORISTAS EXISTEM PORQUE HÁ GOVERNOS TERRORISTAS.
OS TERRORISTAS, ASSIM DESIGNADOS NA EXCEPÇÃO DA PALAVRAS, SÃO INDIVÍDUOS QUE NÃO CHEGARAM AO PODER DE UMA FORMA DEMOCRÁTICA E OU ATRAVÉS DAS ELEIÇÕES.
DESTA FORMA, "NÃO TÊM LEGITIMIDADE ?" PARA ATINGIREM OS FINS A QUE SE PROPÕEM.
FINS QUE MAIS NÃO SÃO AQUILO QUE ENTENDEM COMO SEREM OS SEUS E OS  DIREITOS DOS SEUS CONCIDADÃOS.
HÁ MUITOS GOVERNOS, ONDE SE INCLUI O ATUAL GOVERNO PORTUGUÊS, ELEITOS DEMOCRATICAMENTE?, QUE EM NOME DA DEMOCRACIA E DOS INTERESSES ECONOMICOS PRATICAM ASSALTOS FICAIS, ENVIAM OS SEUS CONCIDADÃOS PARA O DESEMPREGO E ATIRAM MILHARES PARA A MISÉRIA E SOPAS DOS POBRES, ENQUANTO ELES VIVEM "À GRANDE E À FRANCESA",
ESTES SÃO OS TERRORISTAS "LEGALIZADOS".
DA MINHA EXPERIÊNCIA, A EXISTÊNCIA DE TERRORISTAS É ENDEMICA COM TENDÊNCIA A PROLIFERAR.
HÁ TERRORISTAS NO GOVERNO, NA ASSEMBLEIA DA REPUBLICA, NAS INSTITUIÇÕES DO ESTADO, NOS TRIBUNAIS, ETC..
AS LEIS INTERNACIONAIS PREVÊM O DIREITO DE RESPOSTA QUANDO UM CIDADÃO É VIOLENTADO NOS SEUS DIREITOS.
NO ENTANTO QUANDO OS CIDADÃOS OFERECEM RESISTÊNCIA SÃO TRUCIDADOS, ASSASSINADOS, ATÉ COM GÁZ SERIM, E DENOMINADOS DE TERRORISTAS, OU SEJA OS TERRORISTAS ILEGAIS.
A DIFERENCIA É QUE OS GOVERNOS NA SUA DITA LEGITIMIDADE UTILIZAM TODO O SEU POTENCIAL BÉLICO CONTRA OS TERRORISTAS ILEGAIS NÃO SE IMPORTANDO DA MATAR À FOME, INCENTIVAR AO SUICIDO DE CENTENAS DE MULHERES E CRIANÇAS INOCENTES.
QUAL É A DIFERENÇA?

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

A JUSTIÇA EM PORTUGAL

DESDE HÁ UNS TEMPOS A ESTA PARTE QUE TENHO DENUNCIADO QUE A JUSTIÇA EM PORTUGAL É PRIMÁRIA, MOROSA, DISPENDIOSA, PERIGOSAMENTE TENDENCIOSA, OFENSIVA, VIOLADORA DOS DIREITOS HUMANOS, ONDE ALGUNS DOS JUÍZES PREPOTENTES, RECORRENDO-SE DA SUA LIVRE CONVICÇÃO EXERCEM PODER DISCRICIONÁRIO, FREQUENTEMENTE CONDENAM INOCENTES E LIBERTAM CRIMINOSOS.
PASSOS COELHO, PRIMEIRO MINISTRO DE PORTUGAL, NUM DOS SEUS DISCURSOS ACUSA OS JUÍZES DO TRIBUNAL CONSTITUCIONAL, DIZENDO:
- "SE AS MEDIDAS DE AUSTERIDADE NÃO PASSAM NÃO É POR CULPA DA CONSTITUIÇÃO, É POR CULPA DOS JUÍZES."
Suponho que Passos Coelho quererá dizer que os Juízes não cumprem com a Constituição da República, que se sobrepõem à Lei, decidem de uma forma arbitraria e segundo o tal Principio da LIVRE CONVICÇÃO.
Seguindo o mesmo Principio sou obrigado a presumir que se um criminoso é absolvido e um inocente condenado a culpa é dos juízes e não das normas que regulamentam a vivência em comum da sociedade portuguesa.
Normas essas que foram aprovadas na Assembleia e homologadas pelo Presidente da Republica Portuguesa.
Não se entende como é que os indivíduos que fizeram e aprovaram as LEIS e nomeiam os juízes são os mesmo que posteriormente acusam os que são incumbidos de as aplicar. EXISTE AQUI QUALQUER COISA QUE NÃO BATE CERTO E É DE DIFÍCIL COMPREENSÃO.
Sendo certo que os juízes não cumpre as LEIS e que decidem segundo o seu livre arbítrio facilmente se depreende que Portugal mais não é que uma República de bananas governada por bananeiros, com o devido respeito aos vendedores de bananas, onde impera a prepotência e a impunidade do abuso do Poder.
SEI BEM DO QUE FALO!
Na minha modesta opinião e à semelhança de uma qualquer outra actividade profissional os juízes deviam ser penalizados, obrigados a indemnizar ou até demitidos quando comentem erros.
O senhor Passos Coelho não só ofende a dignidade dos juízes do Tribunal Constitucional como tem a desfaçatez de julgar e condenar na Praça Pública, sem qualquer investigação ou julgamento.
O senhor Passos Coelho culpa os juízes do Tribunal Constitucional mas esqueceu o senhor Presidente da Republica.
É que foi o senhor Presidente da Republica que pediu a constitucionalidade dos diplomas quando os  podia ter homologado se assim o entende-se.
O senhor Passos Coelho devia ser constituído arguido por atribuir as culpas das suas políticas catastróficas aos juízes do Tribunal Constitucional.
Não sendo constituído arguido confere a um outro qualquer concidadão o mesmo Direito.
UM PAÍS ONDE A JUSTIÇA NÃO FUNCIONA PERDEU A DIGNIDADE E O RESPEITO DOS SEUS CIDADÃOS É UM PAÍS À DERIVA.

Cita-se Marinho Pinto (distinto Bastonário da Ordem dos Advogados)

"NA NAVE DE LOUCOS EM QUE SE TRANSFORMOU ESTE GOVERNO, O MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SOBRESSAI COMO UM MANICÓMIO EM AUTO GESTAÇÃO"  (JN 02.09.2013) 


domingo, 1 de setembro de 2013

A SUPERIORIDADE HUMANA ?


Quando a simplicidade de um vírus, uma bactéria, um fungo, um unicelular, tem a capacidade de destruir um organismo tão complexo como o humano pergunto-me onde reside a força física, intelectual e a  superioridade humana relativamente aos demais seres onde se inclui os mais infímos.  

O HOMEM DESCONHECE OS LIMITES DAS SUAS LIMITAÇÕES E DA  VULNERABILIDADE HUMANA POIS SE ASSIM NÃO FOSSE VIVER TERIA MAIOR SENTIDO E SERIA MUITO MAIS AGRADÁVEL 

Nelson de Brito  

OS FÁRMACOS MAIS BARATOS . JORNAL DE NOTICIAS 01.09.2013

Diz o bastonário da Ordem dos Farmacêuticos Português (OFP), em Portugal há Ordens para tudo, que está feliz com os novos modelos de receitas médicas porque permite ao doente optar, NA FARMÁCIA, pelo medicamento mais barato.
Isto vem na sequência da OFP ter apresentado queixa, desconheço contra quem a queixa foi apresentada, no Ministério Público porque o modelo das receitas em vigor obrigava os doentes a decidir na presença do médico se pretendia optar pelo medicamento mais econômico.
Argumenta o senhor bastonário da OFP que o médico limitava a liberdade de escolha do doente quando lhe perguntava se pretendia um fármaco mais econômico.
Reconheço a minha ignorância à cerca deste assunto, nem entendo porque razão os Tribunais se imiscuem em tais assuntos que mais não são que jogos de interesses econômicos.
Algumas questões se me colocam.
PRIMEIRA:  Quem apresenta uma queixa é porque pretende obter algum benefício.
No caso em questão a OFP pretende vender os medicamentos que mais lhe aprouverem e que mais margem de lucro daí lhe advêm.
Logo está-se "borrifando" para o doente.
SEGUNDO: Partindo-se da premissa, errada, que as farmácias não tem por objectivo o seu próprio interesse económico e que exercem a sua atividade no interesse do "coitadinho" do doente não se me vislumbra porque razão pretende vender o medicamento mais barato.
É que sendo mais barato presume-se que reduz a margem de lucro das farmácias o que não é credível.
TERCEIRA:  Não se entende o fundamento da OFP quando afirma que o médico "LIMITA A LIBERDADE DO DOENTE"
Dá para sorrir porque estamos na presença de um argumento perfeitamente imbecil.
O médico limita a "LIBERDADE" de decisão do doente e o farmacêutico ou o empregado da farmácia não limita a liberdade quando pergunta ao doente, no interior da farmácia, se quer levar um fármaco mais económico.
Ao propôr um medicamento mais "BARATO" é o farmacêutico ou empregado da farmácia que limitam a liberdade do doente
A OFP invertem as posições: Os médicos são acusados de comerciantes ou de terem interesses econômicos quando dizem aos doentes escolherem este ou aquele medicamento. Os farmacêuticos deixam de ser comerciantes, sem interesses econômicos passando eles a serem os prescritores.
Todos sabemos e até há um proverbio português que diz: "O BARATO SAI CARO".
Ora, é do conhecimento público que os fármacos, onde se inclui a simples aspirina, tem efeitos laterais desde simples, a graves e até letais. 
Os médicos sabem que há medicamentos mais BARATOS que ninguém sabe o que são, qual é a sua composição e ou qual é o excipiente e que alguns são perigosos e outros tem efeitos placebo, isto é nem fazem bem nem mal.. 
Deve-se colocar à OFP a seguinte questão: Quando alteram a prescrição pelo medicamento mais económico assumem a responsabilidade do acto médico se surgirem os tais efeitos laterais e ou letais? Ou essa responsabilidade caberá sempre ao médico? 
Da parte que me cabe nunca permitirei que o senhor farmacêutico, com o devido respeito, altere a receita médica pelo medicamento mais económico.
Deixo algumas propostas:
Os fármacos do mesmo principio ativo devem ser todos vendidos nos hipermercados, expostos em prateleiras, com os respectivos preços.
Exemplo: Paracetamol, a 2€, ou 3€;  Hipotensores a 4€, ou 8€, Antibióticos a 025€ e assim sucessivamente.

PROMOÇÕES do ESTILO: leve dois e pague um! Hoje, antibióticos em Saldo a 50% ou 75%! Fim de coleção! Nova coleção Outono/Inverno!
Comercializar fármacos de MARCA BRANCA usando o mesmo método do Continente, Pingo Doce ou do Jumbo.
No meu modesto entender e à semelhança dos País desenvolvidos, os médicos é que deviam disponibilizar os fármacos nas doses posológicas exatas, "vigiar" os efeitos laterais prevenir as reações adversas, controlar o evoluir ou o regredir das doenças, evitando-se os desperdícios e desta forma terminar com as "negociatas".
Há atividades profissionais que tem a obrigação de se regerem por códigos deontológicos, por via disso é que existem as Ordens. 
Mas há profissionais que se estão nas "tintas" para os seus próprios códigos porque têm por objetivo o lucro desmedido, interferem com os códigos de outros profissionais e estão-se simplesmente "borrifando" para os doentes que ele dizem defender.

PRIMEIRO A MINHA SAÚDE PELO QUE ME ESTOU NAS TINTAS PARA OS GENÉRICOS E OS FÁRMACOS MAIS BARATOS!