sexta-feira, 24 de maio de 2013

OS REFERENCIADOS.

APÓS OS CRIMES CONTRA INOCENTES TEREM ACONTECIDO, AS AUTORIDADES VÊM NOS DIZER QUE OS TERRORISTAS, OS ASSASSINOS, OS CRIMINOSOS, OS PEDÓFILOS, OS VIOLADORES, OS TRAFICANTES DE SERES HUMANOS, ESTAVAM REFERENCIADOS.

ORA SE ESTAVAM REFERENCIADOS PORQUE RAZÃO NÃO OS DETIVERAM ANTES DE COMETEREM OS CRIMES COMO NO CASO DOS ASSASSINOS QUE DEGOLARAM EM PLENA VIA PUBLICA O MILITAR INGLÊS ?

O XAVI TAMBÉM ESTÁ REFERENCIADO.

FICO COM A ANGUSTIA DE QUE AS AUTORIDADES QUE DEVEM PROTEGER OS CIDADÃOS NÃO ATUAM EM TEMPO ÚTIL E PORTANTO CADA UM DE NÓS ESTÁ ABANDONADO AO ACASO DA SUA SORTE.

A MINHA PROPOSTA É QUE PASSEMOS A ANDAR ARMADOS ANTES QUE ALGUM DOS REFERENCIADOS NOS ROUBE A VIDA.



Exma Senhora,
RAINHA SOFIA - DE ESPANHA.
Majestade
Após ter ouvido, com particular atenção, o discurso que vossa Majestade proferiu na Assembleia da Republica Portuguesa, apoiada pela Dra. Manuela Eanes, Maria Cavaco e Silva, Maria Barroso e outras figuras publicas femininas Portuguesas sobre os direitos das crianças, com a vênia que é devida, venho encarecidamente rogar a Vossa Majestade  que interceda junto da senhoras acima referenciadas e do sistema judicial Português, que se diz proteger os direitos juridicamente protegidos das crianças mas que não as defende e até permite que o meu filho seja violentado por um energúmeno da pior espécie ( O XAVI) conforme manifesto  nas várias mensagens deste meu blog.
Com a Devida Vênia e respeito
Nelson de Brito




segunda-feira, 20 de maio de 2013


A ADOÇÃO DE CRIANÇAS POR HOMOSSEXUAIS.
A PROPOSITO DE UMA LEIA APROVADA NO PASSADO DIA 17 DE MAIO PELA ASSEMBLEIA D REPUBLICA PORTUGUESA.

Após “provocações” algumas até injuriosas que no entanto entendo por salutares porque se podem traduzir em “discussão” decide consultar alguns dos meus apontamentos e livros de psiquiatria e transcrever sobre alguns dos comportamentos sexuais.
QUERO DESDE JÁ CHAMAR A ATENÇÃO DOS LEITORES QUE O QUE TRANSCREVO SÃO EXTRATOS DE ESTUDOS CLÍNICOS E OPINIÕES DE MÉDICOS PSIQUIÁTRICAS.
OPINIÕES QUE ME SERVIRAM DE ESTUDO, ADOTEI E SUBSCREVO.
QUEM NÃO ACEITAR SEMPRE TEM A OPORTUNIDADE DE CRITICAR E APRESENTAR ESTUDOS MAIS ATUALIZADOS E OU MAIS BEM FUNDAMENTADOS.  
Do que me foi ensinado e aprendi os impulsos sexuais biológicos são dirigidos a um objeto heterossexual.
Não faz parte da minha experiencia clinica, sou ginecologista/obstetra, e como tal não me é permitido afirmar que uma segregação (rejeição) pelo sexo oposto possa despoletar num heterossexual a procura de satisfação sexual por meio de perversões que podem ser consideradas como desvios sexuais.
É opinião generalizada que o termo perverso sexual devia limitar-se aos indivíduos cujo impulso sexual sofreu um desvio de sua maturação, permanecendo imaturos e ou desencadeado por transtornos nas etapas do desenvolvimento da sua personalidade.
Os desvios de maturação ou no desenvolvimento referem-se à parte psicossexual e não à anatomia ou fisiologia dos órgãos genitais.
A maturação psicossexual pode retardar a maturação biológica ou bloqueá-la até ao ponto dos impulsos heterossexuais não amadurecerem.
Assim presume-se que a satisfação dos impulsos sexuais podem ser satisfeitos através do voyeurismo, exibicionismo, homossexualidade, rapto, pedofilia, masoquismo, sadismo e outros meios.
SE O MEIO FAMILIAR, SOCIAL, CULTURAL, NÃO É FAVORÁVEL A UM DESENVOLVIMENTO PSICOSSEXUAL MADURO E SAUDÁVEL, O IMPULSO DIRIGIDO A UMA HETEROSSEXUALIDADE MADURA PODE SER BLOQUEADO OU DESVIADO.
PRESUME-SE que uma criança intimamente ligada à sua mãe, privado de uma associação intima com o seu pai durante o desenvolvimento da sua personalidade e maturidade estará propenso à homossexualidade como forma preferida de gratificação sexual na vida adulta.
Existem estudos laboratoriais, clínicos que referem que o desenvolvimento heterossexual eficaz nos seres humanos e nos animais depende dos contatos contínuos com membros de ambos os sexos durante todo o processo de desenvolvimento da personalidade
PRESUME-SE QUE A TAREFA DE DESENVOLVIMENTO DA ESPECIE HUMANA É ESTABELECER A IDENTIDADE DO GÊNERO. Os determinantes primários desta identidade são o psicológico.
Os pesquisadores na área de desenvolvimento sexual referem como identidade de gênero a designação do individuo como homem ou mulher.
É dentro de um quadro de identificação de menino ou menina, homem ou mulher que o processo primário de desenvolvimento é crucial.
A atribuição do gênero é o resultado das atitudes dos pais antes e após o nascimento e das transações a que a criança está exposta em relação às subsequentes fantasias, expetativas e desejos.
Mesmo quando a identidade nuclear do gênero está bem definida e as transações parentais ocorrem sem ambiguidade, o individuo pode apresentar alterações no seu desenvolvimento sexual.
A entidade nuclear é fixada numa fase precoce da vida mas as funções do gênero podem evoluir com o tempo por influência e atitudes dos pais ou de terceiros.
A identidade do gênero que determina a gama de comportamentos sexuais desenvolve-se através do fluxo constante das experiências pessoais de vida.
No entanto, a sua expressão pode sofrer constrangimento pela rigidez da estrutura da personalidade.
O termo homossexual é usado para indicar uma alteração da personalidade cujo modelo da expressão sexual predominante é com o membro dos mesmo sexo.
A expressão sexual predominante é heterossexual embora ocasional e ou acidentalmente alguns jovens e adultos tenham contatos homossexuais.
Os contatos acidentais podem surgir quando o individuo é privado de contatos heterossexuais, em orgias ou em situações de permissão da homossexualidade.
Alguns homossexuais têm uma vida exclusivamente homossexual gratificante enquanto outros não atingem a plenitude da satisfação. De resto, o mesmo acontece com os heterossexuais.
As personificações feministas em indivíduos masculinos, ou machistas em femininos podem ser observadas em grupos de homossexuais.
Em ambos podem existir indivíduos estúpidos, isolados, anti - sociais, ressentidos, que nunca tiveram uma relação amorosa.
Outros há cujo comportamento homossexual pode traduzir uma perturbação psicótica grave.
Há homossexuais em que o desenvolvimento da sua personalidade e a função do seu ego parecem ser intatos permitindo-lhes uma conduta social eficiente e construtiva.
Outros têm dificuldade em reconciliar impulsos, manifestam um relacionamento maternal ambivalente e com frequência são provenientes de lares desfeitos e ou de famílias desestruturadas.
Alguns autores argumentam, estudos clínicos mostram que o comportamento homossexual tem na sua origem uma imaturidade psicossexual.
Num desenvolvimento psicossocial saudável, a criança tem de se identificar com a figura paterna e materna ou em outros membros que os substituam.
Quando a criança sente a ausência, indiferença, teme, odeia ou menospreza o seu pai ou a sua mãe, ou é induzido para que o faça, como acontece no SÍNDROME DE ALIENAÇÃO PARENTAL, a ligação e a fixação em um dos progenitores é mais favorecida e mais intensa podendo desencadear uma identificação materna ou paterna.
O futuro homossexual do sexo masculino tem uma ligação intensa com o lado materno que o leva a identificar-se com a mãe.
A fixação e identificação da criança com a sua mãe, como pessoa dominante pode desencadear processos comportamentais em que e na presença dos seus companheiros sexuais se sinta como sendo do sexo oposto.
A hostilidade reprimida contra a mãe, o medo do incesto, a ameaça da perda da relação maternal que possa advir dos contatos com mulheres reforça o medo, a castração, os ressentimentos contra as mulheres.
A relação homossexual também se pode expressar em hostilidade em relação aos homens.
Presume-se que alguns casos de homossexualidade masculina aparecem quando a criança perdeu precocemente o contato com mulheres e passou a ser educado com homens.
Neste caso fica privado da experiência de contato heterossexual e também passa a temer as mulheres.
A homossexualidade feminina é menos estudada.
Algumas pesquisas sobre comportamento sexual feminino indicam que mais de 35% das mulheres das sociedades ocidentais relataram terem contato homossexual.
A grande maioria das mulheres homossexuais ligaram-se emocionalmente a outras mulheres antes dos 14 anos e tiveram o seu primeiro contato homossexual antes dos 20 anos.
Em geral as lésbicas diferem das mulheres heterossexuais por histórias de exposição a temperamentos abusivos e alcoolismo, desenvolvimento de indiferença em relação aos homens, carência de relações gratificantes com terceiros e solidão.
Muitas são propensas à depressão com fortes tendências suicidas.
A PEDOFILIA manifesta-se por um interesse sexual patológico por crianças e é considerada como uma variante da homossexualidade na qual os impulsos homossexuais são dirigidos para as crianças.
Uma outra explicação do comportamento pedófilo refere que o individuou atua em consequência de um desenvolvimento psicossexual imaturo devido ao medo e a dúvidas quanto a si mesmo.
Em consequência desses sentimentos, o individuo sente-se rejeitado, e fracassado no seu comportamento heterossexual adulto e a sua expressão sexual é manifestada nas crianças.
Essa expressão pode representar o desejo que tinha quando criança em relação a si próprio, a uma escolha narcisista ou ao seu inverso que o leva à agressão, ou à violência sobre a criança seduzida.
Certos pedófilos também manifestam voyeurismo, exibicionismo e homossexualidade.
PORTANTO MEUS CAROS AMIGOS PENSO QUE ESCLAREÇO ALGUMAS MENTES PERVERSAS QUE ME ADJETIVARAM DE MALDIZENTE DE HOMOSSEXUAIS E DE HOMOFÓBICO.
ABRAÇO

sábado, 18 de maio de 2013


EM NOME DOS DIREITOS JURIDICAMENTE PROTEGIDOS DAS CRIANÇAS VIOLA-SE E OFENDE-SE ESSES MESMOS DIREITOS.

Cumpre desde já esclarecer as mentes, mais perversas ou não, que não sou homofóbico, racista, machista, feminista, socialista, comunista, fascista ou outra coisa qualquer suscetível de interpretações ofensivas da dignidade de alguém ou da dignidade humana.
Respeito as opiniões de todos quantos queiram opinar, as opções, e o Direito à diferença, e o Direito que cabe a cada um independentemente do sexo, opção religiosa, ou politica.
A sexualidade de cada um é-me totalmente indiferente e por tal razão concordo em absoluto com o Direito da Igualdade de Género pese embora o facto de desconhecer em absoluto qual foi ou é o objeto da Lei e qual o Direito ou Direitos que o legislador pretendeu ou pretende defender.
Ao legislar-se sobre a igualdade de género logo se presume da existência de mais um ou seja o género feminino e masculino.
Ora entendo haver aqui uma grande confusão porque sendo os géneros diferentes não se pode atribuir uma igualdade ao que na sua essência anatómica e funcional é diferente.
Assim como não se pode dizer que o amarelo é igual ao vermelho também, não posso afirmar que um pénis é igual a uma vagina.
Como as cores, as funções para as quais estes dois órgãos foram criados são de forma evidente diferentes embora os objetivos a atingir sejam os mesmos ou seja a reprodução e a continuidade da espécie.
No entanto e sobre a igualdade de Direitos em termos legais não me subsiste qualquer dúvida.

PORTUGAL E A CRISE.
Portugal é um país gerido por imbecis provenientes das juventudes partidárias que nunca fizeram nada pela vida.
A crise portuguesa é endêmica, a justiça e a saúde não funcionam, um milhão de desempregados, sobrecarga de impostos, subtração de direitos e regalias conquistadas há 39 anos, crianças a passar fome, o Estado não cumpre nem assume com os seus compromissos quer para com os seus concidadãos quer para com os seus credores o que só por si limita os Direitos dos cidadãos e por inerência os Direitos Juridicamente Protegidos das crianças e dos idosos.
Entretanto os políticos distraem-se em passeios por esse mundo fora com o falso argumento de que estão a atrair investidores, com o futebol e com os Direitos de Igualdade de Género dos homossexuais.
Sexta-feira dias 17.05.2013 reparem num fim-de-semana, na Assembleia da Republica Portuguesa, constituída por 230 deputados, que eles entendem por diminutos, 99 votaram a favor do Direito dos homossexuais à adoção de crianças.
94, deputados votaram contra, 15 abstiveram-se e 22 nem aparecerem na Assembleia.
Cabe desde já perguntar por que razão é que os cidadãos portugueses têm de sustentar deputados (22) que faltam, não cumprem com as suas obrigações, não representam nem defendem os Direitos para os quais foram mandatados através das eleições.
Como pode uma Lei ser Lei quando obteve menos de 50% dos votos e por tal razão não representa a vontade da maioria.
Num país em recessão e em crise muito grave pergunta-se qual a oportunidade de discutir e aprovar uma Lei sobre a adoções quando há assuntos e decisões muito mais importantes para serem discutidas e aprovadas. 

A HOMOSSEXUALIDADE E O DIREITO DE ODOÇÃO.

Como antes subscrevo, nada me move contra a homossexualidade.
Cada um deve fazer o que bem entender com o seu sexo, introduzi-lo onde bem lhe apetecer ou nele introduzir o que encontrar por mais conveniente ou lhe der maior prazer.
Como médico é-me permitido tecer considerando sobre teorias de deformação no desenvolvimento da personalidade ou até sobre doenças de foro psiquiátrico mas por razões éticas e porque não cabe neste contexto discutir assuntos de cariz cientifico limito-me só a questões anatómicas e funções dos órgãos.
Vagina é vagina! Que tem por função a receção de um Pénis.
Pénis é pénis! Que tem por função a excreção de urina, esperma e o objetivo de ser introduzido na vagina como garante da reprodução.
No entanto, o pénis pode ser introduzido onde cada um dos seus proprietários mais lhe aprouver e claro está se os outros o consentirem.
O ânus serve para excretar fezes! Digo excretar não introduzir.
Certamente que não entra na mente do comum dos mortais atribuir ao coração as funções pulmonares, nem ao fígado as funções intestinais porque cada órgão desempenha uma atividade garante da sobrevivência do organismo.
A introdução no ânus de objetos estranhos pode provocar lesões gravíssimas no esfíncter com consequências catastróficas como as incontinências fecais.
É bom recordar o caso dos alunos da Casa Pia que após sofreram violações anais ficaram com incontinência fecal e com lesões da ampola retal.

AS CRIANÇAS, OS HOMOSSEXUAIS E A ADOÇÃO.
É uma falácia afirmar-se que o direito de adoção dos homossexuais tem por objetivo garantir os Direitos Juridicamente Protegidos das Crianças.
Foram os homossexuais que “lutaram” para que esse Direito lhes fosse conferido e não as crianças.
As crianças que vierem a ser adotadas por homossexuais não foram nem são “ouvidas nem achadas” neste processo como é natural.
Tão natural porque se desconhece quais as crianças que irão ser adotadas e ainda porque são crianças.
Portanto, o Direito de adoção de crianças conferido aos homossexuais não defende nem confere qualquer Direito às crianças.
As crianças adotadas por homossexuais encontram-se na presença de um facto consumado e juridicamente obrigadas a conviver e a desenvolver a sua personalidade num meio adverso senão “estranho” que legalmente lhes é imposto.
A questão que os homossexuais e os “palhaços” dos legisladores esquecem é que essas crianças vão atingir a idade adulta. Na formação da sua personalidade vão desenvolver mecanismos de crítica e de defesa em função do meio cultural em que viveram as suas experiências.
Dois caminhos vão seguir:
O da homossexualidade, que será o mais normal em função da “exemplar convivência” com os seu “progenitores” homossexuais.
O da heterossexualidade, que será certamente o menos frequente.
Mas pior ainda é que as crianças que convivem com homossexuais masculinos correm o risco de serem utilizados como objetos sexuais, violadas e expostas nas redes informáticas de pedofilia.
Na minha modesta opinião, quando estas crianças atingirem a idade adulta serão também elas homossexuais, predadores sexuais ou violadores porque entendem que é norma ser-se homossexual e portanto os outros tem de aceitar e colaborar com a sua homossexualidade, já que e em caso contrário podem ser acusados de homofóbicos.
Deixo desde já explicito que se algum homossexual tentar violar a minha heterossexualidade será repelido com todas as armas de defesa que tiver ao meu alcance.

NARRATIVAS VERIDICAS.
Aquela criança ficou órfã de pai aos 11 anos de idade.
Num dia soalheiro de Maio passeava-se com outras crianças da sua idade junto da marginal do Rio Douro.
Delas se aproximou um individuo de cerca de 40 anos, condutor de um camião que fazia transporte de sacos de bacalhau para a seca que se situava onde hoje é o Parque da Cidade do Porto, que naquele tempo e segundo se consta era um local pouco frequentado.
Oferecendo “rebuçados” às crianças perguntou-lhes se queriam ir com ele até à dita seca onde se estendia o bacalhau.
Os que tinham ido recusaram porque já sabiam o que lhes podia acontecer. Acontecimentos que por vergonha e ofendidos na sua dignidade nunca revelaram.
Os que nunca foram aceitaram. Claro está que foram violentados e abusados sexualmente.
Ora, tanto quanto me é dado conhecer o dito individuo não era só pedófilo como e também homossexual porque segundo descrições gostava de fazer sexo oral e que lhe introduzissem o pénis no ânus.
Desconheço se alguma daquelas crianças se tornaram pedófilos e ou homossexuais.
Outra criança, “menino do coro” na Igreja da Lapa, no Porto, foi seduzido e convidado por um padre italiano, grande músico e organista de música sacra, que a convidou para aprender a tocar piano.
Durante os “ensaios” o dito padre começa por “acariciar” as coxas e o pénis da criança. O “caso” ficado limitado aquele episódio porque o menino narrou os factos aos seus pais que o proibiram de frequentar as aulas de piano antes que elas se transformassem em aulas de homossexualidade.
Certo dia pelas 08,30 h, dirigia-me para o meu local de trabalho, utilizando um transporte público, quando o individuo que se sentava ao meu lado me joga as mãos ao pénis.
Cinicamente, durante a viagem, consenti as “caricias” pese embora o facto de não me estimularem porque para além de se tratar de um homossexual tinha as mãos muito “grossas e calejadas.”
Próximo da paragem de destino, junto do Pavilhão Rosa Mota, voltei-me para o “Paneleiro” que no Porto designa o homossexual, sorrindo disse-lhe:
Meu caro amigo “despache-se porque tenho de sair na próxima paragem”!
O homossexual não reagiu.
Uma criança de dois anos é adotada por um casal de homossexuais.
Vai crescendo naquele meio cultural de indefinição sexual.
Após os 6 anos inicia um processo de perceção das coisas que o rodeiam onde se inclui a sexualidade e os órgãos genitais.
A criança tem por pai o Pedro e por mãe o Pedrinho, sem ofensa para os Pedros deste e doutros Países.
Através dos meios audiovisuais observa o acasalar dos animais ditos “irracionais” e as fêmeas a parirem num processo reprodutivo.
A criança pergunta ao Pedrinho:
Mãe como me tiveste? Como é que eu nasci?
Resposta mais que provável do Pedrinho mãe da criança:
Foi a cegonha que te trouxe!
Se for ordinário dirá à criança que nasceu pelo ânus?
Depois a criança entra na escola e quando lhe perguntam com se chama a mãe ela responde: PEDRINHO!
Como se chama o teu pai? A criança responde PEDRO!
Dirá a professora e os outros alunos: Que “coisa” mais esquisita!
Faz-me lembrar a anedota do Agostinho.
No primeiro dia de aulas a professora pergunta a um menino como era o seu nome, ele responde: Joãozinho!
A professora diz: JOAZINHO é lá em casa, aqui és JOÃO!
Depois a professora pergunta a outro e a mais outro até que chega a um e pergunta: Como te chamas? A criança responde: AGOSTO!
A professora diz: AGOSTO? Que raio de nome! Quem te pós tal nome? A criança responde:
Sabe senhora professora é que lá em casa eu sou AGOSTINHO.
De facto Portugal é um País de INHOS…
QUEM PORTEGE AS NOSSAS CRIANÇAS?
Portugal não vive só uma crise económica.
Portugal está mergulhado numa crise ética, moral, educacional, cultural, judicial e social.
TENHO UMA VONTADE INCONTROLÁVEL DE EMIGRAR.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

VIOLÊNCIA DOMESTICA SOBRE HOMENS

MULHERES "ASSASSINAS" EM PORTUGAL



Jornal de Noticias de 03.05.2013.
Mulher atropelou o marido, causando-lhe a morte, e arrisca 8 anos de prisão.
Mulher rega marido com ácido sulfúrico que se encontra em estado grave no hospital.
Caras "amigas"
Da minha experiência resulta e por isso deixo a minha sugestão.
Arranjem duas ou três testemunhas falsas, porque os tribunais não acreditam nos que sem rebuço expressam a verdade, que vão ao inquérito "afirmar" e jurar em nome da "verdade" que ambas foram vítimas de "violência doméstica".
Depois dirijam-se à APAV, Rumar, Umar E OUTROS.. a solicitar comprovativos de que foram vitimas dessas violências desde há 100 anos. que eles sempre "arranjam" qualquer coisinha.
Como o Ministério Público, não tem disponibilidade de tempo para fazer investigação, o que no meu modesto entender devia ser função da Policia Judiciária que tem experiência no terreno, na fase de inquérito facilmente acreditarão nas "verdades" das ditas testemunhas e os vossos maridos, já defuntos, serão acusados.
Ora como os defuntos não se podem defender, de vitimas passaram a criminosos já mortos e vocês a umas desgraçadas coitadinhas que agiram em legitima defesa serão ilibadas.
Quem se deixa atropelar e queimar com ácido pela própria esposa deve ser "castigado" e até com a pena de morte porque só um "burro" convive, dorme na mesma cama e come à mesma mesa com uma potencial criminosa.
Pois é meus "queridos defuntos", a vida não é só vaginas e quanto a estas estamos "conversados", ide ao Relax.
Perceberam?

domingo, 5 de maio de 2013

DIA DA MÃE? QUE DIA? QUE MÃE?

 DIA DA MÃE

Não é de minha intenção desprestigiar as mães mais não pretendo que demonstrar que não são santas e que o dia da mãe mais não é que uma invenção comercial.

Inicio pelo lado comercial da festividade.
Em Portugal penso que não há números mas nos Estados Unidos é a segunda melhor data do comércio, depois do Natal.
National Retail Federation (Federação Nacional de Varejo norte-americana) estimou em 2012 os gastos para o Dia da Mãe deve ultrapassar $18.6 bilhões ($152 por pessoa) nos Estados Unidos

Dia da Mãe é uma data comemorativa em que se homenageia a mãe e a maternidade.
Em alguns países é comemorado no segundo domingo do mês de Maio.
O dia da mãe teve origem nos Estados Unidos
Em 1858 Jarvis fundou os Mothers Days Works Clubs em 1858, Jarvis havia fundado os Mothers Days Works Clubs com o objetivo de diminuir a mortalidade infantil das crianças nas famílias dos trabalhadores.
As primeiras sugestões em prol da criação de uma data para a celebração das mães foi dada pela ativista Anna Maria Reeves Jarvis que organizou em 1865 os Mother`s Friendship Days para melhorar as condições dos feridos de guerra da Sucessão.
Em 1870 a escritora Julia Ward Howe autora de O Hino de Batalha da Republica o manifesto Mother's Day Proclamation pedindo paz e desarmamento depois da Guerra de Secessão.

Anna Maria Jarvis, metodista, filha da anterior, nasceu em 1864 na Virgínia e faleceu em 1948 na Pensilvânia. Nunca se casou nem teve filhos. Interessante não é?
A ideia ocorreu-lhe após a morte da sua mãe, Anna Maria Reeves Jarvis, em 1905.
As suas amigas muito preocupadas em face do seu estado depressivo fizeram uma festa para eternizar a morte da sua mãe querendo que a celebração fosse estendida a todas as mães.
Depois de lutar durante três anos para oficializar a data, o governador da Virgínia Ocidental em 26 de Abril de 1910, acrescentou o DIA da MÃE ao seu calendário de datas comemorativas daquele estado.
Em 08 de Maio de 1914, o Congresso dos Estados Unidos aprovou  Joint Resolution Designating the Second Sunday in May as Mother's Day  e o Presidente dos Estados Unidos, Thomas Woodrow Wilson formalizou, em todo o território dos Estados Unidos, o dia 09 de Maio como o dia das mães. 
Na década de 1920, Anna Jarvis ficou incomodada com a comercialização do feriado. Ela criou a Associação Internacional para o Dia das Mães, alegou direitos autorais sobre o segundo domingo de maio, e foi presa uma vez por perturbar a paz.
Ela e sua irmã Ellsinore gastaram a herança da família fazendo campanha contra o feriado. As duas morreram na pobreza.
Jarvis ficou magoada porque muitas pessoas mandavam para suas mães um cartão impresso.
Dizia ela que "um cartão impresso não significa nada mais que você é muito preguiçoso para escrever para a mulher que fez mais por você que qualquer outra pessoa no mundo. E tortas! Você leva uma caixa para a Mãe - e então come tudo você mesmo. Um belo sentimento!"
Com a crescente difusão e comercialização do Dia das Mães Anna Jarvis afastou-se do movimento, lamentou a criação e lutou para a abolição do feriado.

Com a mania das grandezas que carateriza os portugueses, em Portugal existem dois dias no ano em que se celebra o dia da mãe.

Primeiro domingo de Maio, também dia da Nossa Senhora da Lapa que se festeja no Porto.
08 De Dezembro, dia da Nossa Senhora da Conceição, ou Imaculada Conceição Padroeira de Portugal que como sabemos foi uma “invenção” do Cardeal Cerejeira.
 IMACULADA CONCEIÇÃO
Cumpre esclarecer que o autor do texto não tem intenção de ofender ou escarnecer os cristãos, porque também ele se revê, em certa medida, no contexto do cristianismo ainda que não seguidor.
O objetivo é diferenciar uma mãe enquanto reprodutora com funções de dar continuidade às espécies e uma outra mãe enquadrada num conceito puramente cultural, religioso, tradição e espiritual.
Segundo o dogma católico, a conceção da Virgem Maria sem  pecado original.
Entenda-se pecado original como alguém que é virgem.
Ora, como todos sabemos Jesus Cristo teve irmãos mais velhos e que após o nascimento de um parto vaginal as mulheres perdem o hímen.
 O dogma diz que, desde o primeiro instante de sua existência, a Virgem Maria foi preservada por Deus, da falta de graça santificante que aflige a humanidade, porque ela estava cheia de graça divina.
Também professa que a Virgem Maria viveu uma vida completamente livre de pecado.
Desde o cristianismo primitivo diversos Padres da Igreja defenderam a Imaculada Conceição da Virgem Maria, tanto no Oriente como no Ocidente.
No século IVEfrém da Síria (306 373) diáconoteólogo e compositor de hinos, propunha que só Jesus Cristo e Maria seriam limpos e puros de toda a mancha do pecado.
Já no século VIII se celebrava a festa litúrgica da Conceição de Maria em 8 de dezembro ou nove meses antes da festa de sua natividade, comemorada no dia 8 de setembro.
No século X a Grã-Bretanha celebrava a Imaculada Conceição de Maria.
A festa da Imaculada Conceição, comemorada em 8 de Dezembro, foi definida como uma festa universal em 28 de Fevereiro de 1476 pelo Papa Sisto IV.
Em 1497 a Universidade de Paris decretou que ninguém poderia ser admitido na instituição se não defendesse a Imaculada Conceição de Maria, exemplo que foi seguido por outras universidades como a de Coimbra e de Évora.
Em 1617 o Papa Paulo V proibiu que se afirmasse que Maria tivesse nascido com o pecado original.
Em 1622 Gregório V impôs silêncio absoluto aos que se opunham à doutrina.
Em 8 de Dezembro de 1661Alexandre VII promulgou a Constituição apostólica Sollicitudo omnium Ecclesiarum em que definia o sentido da palavra conceptio, proibindo qualquer discussão sobre o assunto.
Na Itália do século XV o franciscano Bernardino de Bustis escreveu o Ofício da Imaculada Conceição, com aprovação oficial do texto pelo Papa Inocêncio XI em 1678.
Em 8 de Dezembro de 1854A Imaculada Conceição foi solenemente definida como dogma pelo Papa Pio IX em sua bula Ineffabilis Deus, onde expressou:
"Em honra da santa e indivisa Trindade, para decoro e ornamento da Virgem Mãe de Deus, para exaltação da fé católica, e para incremento da religião cristã, com a autoridade de Nosso Senhor Jesus Cristo, dos bem-aventurados Apóstolos Pedro e Paulo, e com a nossa, declaramos, pronunciamos e definimos a doutrina que sustenta que a beatíssima Virgem Maria, no primeiro instante de sua conceição, por singular graça e privilégio de Deus onipotente, em vista dos méritos de Jesus Cristo, Salvador do gênero humano, foi preservada imune de toda mancha de pecado original, essa doutrina foi revelada por Deus e, portanto, deve ser sólida e constantemente crida por todos os fiéis.
Este Papa recorreu ao Gênesis 3:15, onde Deus disse: "Eu porei inimizade entre ti e a mulher, entre sua descendência e a dela".
Segundo esta profecia, seria necessário uma mulher sem pecado, para dar à luz o Cristo, que reconciliaria o homem com Deus.
Maria seria cumprimentada pelo Anjo Gabriel como "cheia de graça", bem como pelos escritos dos Padres da Igreja, como Irineu de Lyon e Ambrósio de Milão.
Uma vez que Jesus tornou-se encarnado no ventre da Virgem Maria, era necessário que ela estivesse completamente livre de pecado para poder gerar seu Filho.
O verso "Tu és toda formosa, meu amor, não há mancha em ti" (na Vulgata: "Tota pulchra es, amica mea, et macula non est in te ), no Cântico dos Cânticos  (4,7) é usado para defender a Imaculada Conceição,
"Também farão uma arca de madeira incorruptível; o seu comprimento será de dois côvados e meio, e a sua largura de um côvado e meio, e de um côvado e meio a sua altura." (Êxodo 25:10-11)
"Pode o puro Jesus vir dum ser impuro? Jamais!" (Jó 14:4)
"Assim, fiz uma arca de madeira incorruptível, e alisei duas tábuas de pedra, como as primeiras; e subi ao monte com as duas tábuas na minha mão." (Deuteronômio 10:3)
Outras traduções para a palavras incorruptível  ("Setim" em hebraico) incluem "acácia", "indestrutível" e "duro" para descrever a madeira utilizada que Noé usou essa madeira porque era considerada muito durável e "incorruptível".
Maria é considerada a Arca da Nova da Aliança (Apocalipse 11:19) e, portanto, a Nova Arca seria igualmente "incorruptível" ou "imaculada".
Foi enriquecido pelo Papa Pio IX em 31 de março de 1876, após a definição do dogma com 300 dias de indulgência cada vez que recitado.

SÃO TOMÁS DE AQUINO

É um dos meus teólogos e filosofo preferidos.
Alguns teólogos e Doutores da Igreja, como Santo AnselmoSão Bernardo e São Boaventura, chegaram a negar a Imaculada Conceição, mas isso deve ser entendido de acordo com o desenvolvimento da doutrina, que não permitiu a eles ver de forma clara de que forma essa doutrina mariana se encontrava implícita na Revelação divina  (BíbliaTradição).
Sobre S. Tomás de Aquino criou-se um consenso de que ele teria, durante toda a sua vida, negado e repudiado completamente o dogma da Imaculada Conceição.
No livro primeiro dos comentários dos livros das Sentenças, escrito provavelmente em 1252 e quando São Tomás contava apenas 27 anos de idade, ainda no início de sua atividade acadêmica em Paris, ele escreveu:
“Respondo dizendo que se consegue a pureza pelo afastamento do contrário.
Por isso, pode haver alguma criatura que, entre as realidades criadas, nenhum seja mais pura do que ela, se não houver nela nenhum contágio do pecado.
Tal foi a pureza da Virgem Santa, que foi imune do pecado original e do atual." (I Sent., d. 44, q. 1, a. 3)
Depois, S. Tomás adotou uma postura confusa sobre o dogma da Imaculada Conceição, presente em trechos do Compêndio de Teologia e da Suma Teológica.
Pode-se encontrar esta postura na segunda parte do Compêndio de Teologia  (CTh.), que pertence a um período anterior ao da elaboração da III da Suma Teológica, escrito quando Tomás já contava com cerca de 42 anos de idade, sendo provavelmente do ano de 1267.
"Como se verificou anteriormente, a Beata Virgem Maria tornou-se Mãe de Deus concebendo do Espírito Santo.
Para corresponder à dignidade de um Filho tão excelso, convinha que ela também fosse purificada de modo extremo.
Por isso, deve-se crer que ela foi imune de toda nódoa de pecado atual, não somente de pecado mortal, bem como de venial, graça jamais concedida a nenhum outro santo abaixo de Cristo. Ela não foi imune apenas de pecado atual, como também, por privilégio especial, foi purificada do pecado original.
Convinha, contudo relembrar que ela foi concebida com pecado original, por concebida de união de dois sexos." (CTh. C. 224)
Mas, no final da sua vida, São Tomás retornou à sua tese original favorável ao dogma mariano.
A sua defesa encontra-se no texto Expositio super Salutatione angelicae, sermão de um período em que ele já contava 48 anos de idade, provavelmente do ano de 1273
“Ipsa enim purissima fuit et quantum ad culpam, quia ipsa virgo nec originale, nec mortale nec veniale peccatum incurrit”
“Ela é, pois, puríssima também quanto à culpa, pois nunca incorreu em nenhum pecado, nem original, nem mortal ou venial”
Este retorno à tese original encontra-se também em várias obras da época final de S. Tomás, como por exemplo na Postiila Super Psalmos de 1273, onde se lê no comentário do Salmo 16, 2:“Em Cristo a Bem-Aventurada Virgem Maria não incorreu absolutamente em nenhuma mancha” ou no Salmo 18, 6: “Que não teve nenhuma obscuridade de pecado”7 .

Compulsada a Biblia veremos que Jesus desvaloriza a mãe e ao longo da sua curta vida sempre se refere ao Pai.

A BIBLIA

Naquela ocasião, Jesus tomou a palavra e disse: “Bendigo-te, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e aos entendidos e as revelaste aos pequeninos. Sim, ó Pai, porque isto foi do Teu agrado. Tudo me foi entregue pelo Meu Pai e ninguém conhece o Filho senão o Pai e aquele a quem o filho o quiser revelar. S. Mateus 11 (25 a 27)

Estava Ele ainda a falar à multidão, quando apareceu Sua mãe e Seus irmãos, que do lado de fora, procuravam falar-lhe. Disse-lhe alguém: “A Tua mãe e os Teus irmãos estão lá fora e querem falar-Te”. Jesus respondeu ao que Lhe falara: “Quem é a minha mãe e quem são os Meus irmãos”? Pois todos aqueles que fizerem a vontade do Meu Pai que está nos seus céus, esses são Meu irmão, Minha irmã e Minha mãe. S. Mateus 12 (46 a 49).

Seus pais iam todos os anos a Jerusalém, pela festa da Pascoa. Quando chegou aos 12 anos, subiram até lá, segundo o costume dos dias de festa. Terminados esses dias, regressaram a casa e o Menino ficou em Jerusalém, sem que os pais o soubessem. Pensando que Ele se encontrava na caravana, fizeram um dia de viagem e começaram a procura-Lo entre os parentes e conhecidos. Não O tendo encontrado, voltaram a Jerusalém, à Sua procura. Volvidos três dias Encontraram-No no Templo sentado entre os doutores, a ouvi-los e a fazer-lhes perguntas. Todos quantos os Ouviam estavam estupefatos com a Sua inteligência e as Suas respostas. Ao vê-Lo, ficaram assombrados e a sua mãe disse-Lhe: “Filho, porque nos fizeste isto? Olha que o Teu pai e eu andávamos aflitos à Tua procura”. Ele respondeu: “Porque me procuráveis? Não sabíeis que devia estar em casa do Meu Pai? S. Lucas 2 (41 a 49)

Enquanto Ele falava, uma mulher, levantando a voz do meio da multidão, disse: “Felizes as entranhas que te trouxeram e os seios que Te amamentaram!” Ele porém retorquiu: “Diz antes: Felizes os que escutam a palavra de Deus e a põem em prática. S. Lucas 11 (27 e 28).

Jesus tomou a palavra e disse-lhes: Em verdade, em verdade vos digo: Não pode o Filho fazer nada por Si mesmo senão vir o Pai fazê-lo, pois tudo quanto o Pai fez, também o filho o faz igualmente. Porque o PAI AMA O SEU FILHO e mostra-lhe tudo quanto faz; Mostrar-lhe-á obras maiores que estas, de modo que ficareis admirados. S. João III, 5 (19 a 20).

Junto da Cruz de Jesus estavam Sua mãe, a irmã de Sua mãe, Maria, mulher de Cléofas e Maria de Magdala. Ao ver Sua mãe e junto dela, o discípulo que Ele amava, Jesus disse à Sua mãe: “Mulher, eis aí o teu filho”. Despois disse ao discípulo: “Eis aí a tua mãe”. S. João 19 (25 a 27).

Na proximidade da morte Jesus não apelou à sua mãe.
Chamou-lhe MULHER e NÃO MÃE.
Terminou dizendo: “Eis aí o teu filho”
Das expressões de Jesus na hora da Sua morte pode-se interpretar que Jesus queria deixar bem claro que Maria não era sua mãe (MULHER) e que Ele não era seu filho (EIS AÍ O TEU FILHO)?  

No dia 2013.05.04, ontem, um dia antes da celebração do dia da mãe o Jornal de Noticias publicava na sua página 13 – MÃE DETIDA POR TENTAR MATAR AS FILHAS.
Pergunto-me em que mundo vivemos?

MÃE
Diz-me
De que sou fruto?
Dum impulso?
Dum caso furtuito?
Dum momento de prazer?
Porque me fizeste nascer?
Sofreste?
Tiveste dor?
Traduziste-a em amor?
Acolheste-me no teu seio?
Apertaste-me contra ao peito?
Afagando-me o cabelo,
Beijando-me o rosto,
Com ternura,
Num tom comovido,
Sussurravas-me ao ouvido,
As canções de embalar?
Até eu adormecer,
Até eu acordar?
Nisso sentias prazer?
Felicidade
De eu ser
O teu menino
A tua continuidade?
O teu destino?
Então diz-me:
Cresci sem o teu carinho
Porque estavas ausente.
De ti não tive um miminho.
Porque me abandonaste?
Porque na minha inocência
Permites que seja vítima de violência?
Enquanto o meu pai presente
Ama-me loucamente
Aperta-me nos seus braços
Dá-me o que tu não dás
Porque não és capaz.
Porque mo queres tirar?
Porque o queres matar?
E a outro me entregar?

Nelson de Brito

quarta-feira, 1 de maio de 2013

COMO EM PORTUGAL SÃO TRATADOS AS CRIANÇAS E OS SEUS PAIS MASCULINOS



XAVI, O PADRASTO, VERSUS O PROGENITOR

Um sujeito conheceu uma enfermeira, que e aqui para nós era e é física e intelectualmente muito limitada.
Não interessa, lá foram vivendo…
Decorridos 5 anos, o sujeito já cansado da criatura, propôs-lhe a separação dizendo ela que ia pensar.
E pensou muito bem!
O sujeito é que não pensou com a cabeça certa e engravidou a enfermeira.
Em todo o caso o sujeito ficou feliz e enquanto a enfermeira ia para o seu trabalho por turnos, o sujeito cuidava da criança.
Dava-lhe o biberão, mudava-lhe as fraldas, dava-lhe banho, dormiam os dois muito agarradinhos.
Estão a ver como é?
O pequenote foi crescendo e o sujeito passava os dias a brincar com o seu filho, ensinando-o a nadar, hipismo, tenis, e futebol, etc…
Quando o pequenote tinha 7 anos, a enfermeira disse ao sujeito:
- Isto não dá!
Diz o sujeito:
A quem o dizes! Como fazemos?
Diz a enfermeira: - Sais de casa!
Diz o sujeito: - Claro! E o menino?
Diz a enfermeira: - O menino é meu filho e faço dele o que eu quiser!
O sujeito, ora progenitor, moveu um processo para regulação do Poder Paternal.
Maldita a hora!
Porque de requerente passa a requerido.
Vocês sabem o que é um tribunal de Família e Menores?
Se não sabem não queiram saber!
DEGRADANTE!
NÃO TENHO ADJETIVOS PARA OS AGENTES DA JUSTIÇA.
JUSTÍÇA?
Mas, as crianças bem merecem!
L U T E M !!!!!
PELOS DIREITOS DOS VOSSOS FILHOS QUEREM SEJAM HOMENS OU MULHERES.
Água na Boca?
Querem é a história do Xávi! Não é?
Então lá vai.
Dia 08 de Dezembro de 2008.
Uma vizinha da enfermeira abeirou-se junto do progenitor da criança e disse-lhe:
- Senhor, vi o seu filho acompanhado de um individuo com muito mau aspeto.
O progenitor muito assustado e ansioso, ligou para o seu filho e perguntou-lhe quem era o individuo que o acompanhava.
A criança disse que isso era assunto da sua mãe.
Naquele dia, a criança e a sua mãe encontravam-se em Guimarães a assistir ao Guimarães versos Leixões, enquanto o tal individuo fazia “guarda” aos portões do estádio.
A criança então com 08 anos de idade disse que era um “amigo” da mãe que se chamava Manel enfermeiro que dava umas vacinas no Hospital de S. João e que era stewart no portão 8 do Estádio do Dragão.
Não sei se sabem que o Portão 8 é por onde entra a claque dos Dragões.
No dia seguinte, o progenitor disse ao seu filho que era impossível o Manel dar vacinas e ao mesmo tempo ser stewart no Estádio do Dragão.
A criança chorando confessou que o dito Xavi era maqueiro no Hospital de Santo António e que dormia lá em casa na cama que o seu pai tinha comprado.
O que mais impressionou aquele pai foi o facto de a criança dizer que o dito Xavi DORMIA NA CAMA QUE O PAI COMPROU.
Aquele pai perguntou ao menor:
- E tu onde dormes?
A criança disse que dormia na sala de jantar, mas que “ouvia tudo”
Estamos a falar de um T1.
Atentem na frase “OUVI TUDO”
AQUELE PAI CHOROU COPIOSAMENTE.
A criança perguntou?
PAI PORQUE CHORAS?
O pai respondeu:
- Por ti meu filho e pelo amor que te tenho.
O pai da criança tem amigos bem colocados, a nível da administração do Futebol Clube do Porto e soube qual era a empresa em que aí prestava serviços com os ditos stewart e veio a saber quem era o Xavi.
Desta forma e através da sua mulher, sogra, madrasta, pai, irmão e da mãe do Xavi o pai daquele menino tão lindo, tomou conhecimento de quem era o dito, que a criança começou a denominar por O “PORCO”
PORCO PORQUE, SEGUNDO A CRIANÇA, EXPLIA GAZES FLUTOLENTOS, MAL CHEIROSOS, E ARROTOS COM CHEIRO A Ovos-moles.
FALEMOS DO PORCO:
Diz o menor que o PORCO se passeia desnudado pelo apartamento, que lhe dizia que pedofilia é sexo, que lhe tirava fotografias e publicava no seu PC, que tinha uma pila grande e que era muito sexy, que o seu pai era um velho, nojento, e que lhe havia de foder o focinho e matar.
Disse a criança que um dia durante a tarde o dito PORCO esteve a ver um filme que se denominava a BRANCA DE NEVE E OS SETE MATOLÕES. CONHECEM? EU NÃO!
Claro está que aquele pai deu conhecimento à Segurança Social, à Comissão de Proteção de Menores, à APAV, à SOS criança, ao Tribunal de Menores e ao Ministério Publico.
Querem saber as respostas? Estão curiosos?
A Segurança Social disse que aquela criança tem um espaço na Sala de Jantar para pernoitar.
A Comissão de Proteção de Menores disse que a mãe daquele menino rejeitou a intervenção e que não podia fazer nada, mas que ia enviar para o Ministério Público.
A APAV disse que só admitia queixas de violência doméstica e só participada por mulheres.
A SOS criança disse que não tinha meios para intervir.
O tribunal de Menores despachou que o progenitor apresentava “um cem número de denúncias” contra a progenitora do menor e de ser portador de uma clara ambiguidade de sentimentos, eventual revolta relativamente à progenitora e à separação do casal,”
Como quem diz: - Este tipo está “armado em ciumento”
O MP diz: - a mãe do menor pode “andar” com quem ela bem entender!
Pois pode!
E a criança Pode?
Contatado telefonicamente o representante do MP, respondeu:- Caro senhor se acontecer alguma coisa ao seu filho depois apresente queixa-crime.
O pai da criança disse: O QUÊ? ESTÁ A BRINCAR? Então o homem desligou o telefone.

O “XAVI”

Ora o “XAVI”, é maqueiro, proveniente da Escarpa da Serra do Pilar, Bairro degradado da cidade de Vila Nova de Gaia, - Porto - Portugal onde se trafica e consume estupefaciente.
O PAI da criança foi informado que o “XAVI” era ou é casado, com antecedentes de consumo e tráfico de estupefacientes, alcoólico, impedido juridicamente de conviver com a sua filha que é da idade do filho do progenitor aqui relatado.
No dia 11 de Novembro de 2008, pelas 21,00 h, o XAVI, tocou à campainha do progenitor e fazendo-se passar por funcionário da TV Cabo, deu um “soco” no olho direito do pai da criança e fugiu.
Como o dito progenitor não sabia quem foi o sujeito, nem tinha testemunhas, não apresentou queixa.
No dia 17 de Dezembro de 2008, pelas 14,00 h da tarde e quando o progenitor do menino se encontrava a conversar com um amigo no átrio do Hospital eis senão quando chega o XAVI, interrompe a conversa e batendo no ombro diz:
- Eu sou o XAVI!
O progenitor perguntou: - E…?
Tem algum problema? Olhe que eu sou ginecologista/ obstetra.
O XAVI disse:
- Ó filho da… Paga o que deves!
A mim não fazes o que fazes a ela!
Vou-te matar!
Vou-te foder o focinho!
Nem és homem nem és nada!
Soltando uma série de ameaças, ofensas, e injúrias ao pai do menino.
O progenitor da criança ficou surpreendido porque não estava a entender nada do "assunto"
No dia seguinte foi ameaçar o amigo do progenitor que lhe dava uma tareia se fosse testemunha.
01.05.2009, pelas 18,00 h, conforme consta da participação policial, quando aquele desesperado pai vai buscar o seu filho, acompanhado por dois agentes da autoridade, eis que este chega bastante perturbado e assustado, referindo na presença dos dois polícias sem qualquer pressão por parte do seu pai as seguintes expressões:
PAI O AMIGO DA MÃE DISSE QUE TE ÍA MATAR.
VAI-TE DAR UMA TAREIA QUE TE PARTE TODO
IDENTIFICANDO O DITO AMIGO DA MÃE COMO O XAVI.
Claro está que proferiu o nome completo do Xavi que como é fácil de entender estou impedido de o publicar.
Que fez o Ministério Publico e o Tribunal de Família, perguntar-me-ão.
N A D A!
No dia 15.02.2009, pelas 09,00h, quando o pai da criança se encontrava no Posto Policial a tratar de assunto relacionado com o seu filho, quando entretanto surgiu nesse posto o XAVI, que se fazia transportar num veículo de matrícula 35-78-CV e ameaçou nos seguintes termos:
VOU-TE DAR UMA TAREIA; TU VAIS VER; VOU-TE FODER O FOCINHO, VOU-TE MATAR.
Bem como injuriou o progenitor:
Porco, filho da puta,
Ficando o progenitor da criança com receio fundado e temendo pela sua integridade física.
A entrada do suspeito foi contida pelas testemunhas, diga-se os agentes da autoridade, de forma a evitar possíveis agressões.
Que aconteceu entretanto, perguntarão os caros leitores.
N A D A.
O XAVI foi constituído arguido, julgado e condenado pelo crime de injúria.
Pena de multa e uma indemnização de 250,00€ ao pai do menino o que nunca pagou.
Quanto ao crime de ameaça contra a integridade física e de morte, a senhora juíza fundamenta que as ameaças foram para aquele momento.
Ora como o progenitor não foi assassinado o crime de ameaça não existe.
Não sei se entenderam?
No dia 24 de Novembro de 2009, cerca das 19,15h, o progenitor deslocou-se a um recinto desportivo para onde indevidamente o menor foi transportado pelo XAVI.
Estava o progenitor a perguntar quem foi que inscreveu o menor naquele recinto, quando chega o XAVI aparece e diz:
Olá Baby!
Tás fodido comigo.
Vou-te foder o focinho.
Paga o que deves!
Quando o XAVI se refere ao “paga o que deves”, está a falar sobre a Pensão Alimentos de 500,00€ que o progenitor dá à mãe da criança.
É que o XAVI tem um vencimento de cerca de 500,00€, que são insuficientes para os seus vícios, e para sustentar a sua mulher e filha.
Continuando.
Dizia ele:
Nem és homem nem és nada!
Eu é que sou muito homem!
Tens a mania que és o Rei!
Não vales um caralho!
Ato continuo tentou atingir o ofendido no seu corpo.
Desafiando o pai da criança para fora do Pavilhão e já no exterior disse:
Velho, porco, filho da puta, vou-te dar uma tareia, não sabes se o filho é teu, tás fodido comigo.
Assim que te apanhar sozinho vou-te foder os cornos! Cabrão.
Vou-te foder o focinho, passa para cá a massa!
Filho da puta, larga a gaja.
Deves pedir o teste da paternidade.
Vou-te dar um tiro nos cornos!
Levaste o miúdo para as obras eu e mais três amigos bem vimos.
O progenitor pediu a intervenção da policia.
Que aconteceu?
N A D A.
Processo arquivado, por falta de provas.
ACREDITAM?
Pior ainda é que o XAVI arrolou o menor, filho do dito progenitor, como testemunha.
Com a conivência da mãe do menino, este foi testemunhar e mentir contra o seu próprio pai.
No despacho de arquivamento diz assim: “ DE IGUAL MODO, A TESTEMUNHA T, FILHO DO QUEIXOSO, AFIRMOU TER SIDO ESTE QUEM CHAMOU NOMES AO ARGUIDO, E DE SEGUIDA DESFERIU-LHE UM EMPURRÃO. O ARGUIDO NÃO REAGIU NEM LIGAVA NENHUMA AO SEU PAI.
Que fez o Tribunal de Família e o MP?
N A D A
Entretanto, no dia 17 de Janeiro de 2012, a após testemunhar no processo de Regulação do Poder Paternal, que não devia nem é permitido porque tem interesses na causa, e há inimizade grave entre ele e o progenitor da criança.
Dizia eu, quando acabado de testemunhar e já no átrio do Tribunal, dirigiu-se ao progenitor afirmando “entre dentes”:
VOU-TE MATAR!
VOU-TE FODER O FOCINHO.
PAGA O QUE DEVES.
Perante tais afirmações, o progenitor levantou-se deitou os dedos na “Barbela” do XAVI e disse-lhe.
NUNCA MAIS ME AMEAÇAS NEM A MIM NEM AO MEU FILHO PORQUE PARA A PRÓXIMA QUEM TE FODE SOU EU.
QUE ACONTECEU?
O XAVI APRESENTOU QUEIXA.
Apresentou testemunhas falsas que não se encontravam no lugar como ficou provado
Mas mesmo assim o progenitor daquele menino foi condenado a 2.000.00€ de pena de multa e em 1.000.00€ ao XAVI
Claro está que o pai do menino vai recorrer.
O “ENGRAÇADO” disto é que o magistrado e a juíza são os mesmos que absolveram o XAVI do crime de ameaças de morte quer ao menor quer no interior do posto policial.
Quanto ao Tribunal de Família e Menores, não querem saber e de certeza que entendem que aquele pai deve ser morto porque e segundo as suas mentes aquele pai ainda anda loucamente apaixonado pela mãe do menor.
RIAM-SE À VONTADE PORQUE DE FACTO NÂO PASSA DE UMA PALHAÇADA.

PAI É PARA PAGAR PENSÃO DE ALIMENTOS PARA SUSTENTAR OS PADRASTOS QUE VIOLAM AS CRIANÇAS E OS TRANSPORTAM PARA O SUB MUNDO DA DROGA E DA PROSTITUIÇÃO.

ESTA É A JUSTIÇA EM PORTUGAL QUE SE DIZ DEFENDER OS DIREITOS JURIDICAMENTE PROTEGIDOS DAS CRIANÇAS.

APELO.

APELO A TODOS, PAIS E MÃES, QUE QUANDO LEREM ESTA NARRATIVA QUE AJUDEM ESTE PAI A SALVAR O SEU FILHO DA PROMISCUIDADE EM QUE VIVE ENQUANTO É TEMPO.

DEIXO TAMBÉM UM APELO ÀS AUTORIDADES JUDICIAIS E POLITICAS DESTE PAÍS QUE SALVEM ESTA CRIANÇA.

PROPONHO AINDA A QUEM ESTEJA INTERESSADO EM CONSTITUIR UM ORGANISMO PARA DEFESA DOS PROGENITORES QUE SÃO VIOLENTADOS E QUE DEFENDAM AS CRIANÇAS.

FUNDAMENTADO NUM FILME QUE RECENTEMENTE TIVE A OPORTUNIDADE DE VER, PROPONHO QUE A DITA INSTITUIÇÃO SE DENOMINE

PROJETO INOCÊNCIA