sexta-feira, 7 de junho de 2013

HOJE É DIFERENTE. DOU LIBERDADE Á MINHA “VEIA” POÉTICA


Hoje, senti
O teu olhar profundo,
Meigo,
Docemente fixado em mim.
Enquanto contemplava
A beleza do teu rosto,
Dos teus lábios,
Do teu sorriso encantador,
A transbordar de alegria
De amor.
Pensava como és bela,
De uma beleza
Tão simples
Quanto singela.
Que me fazia sonhar,
Contigo viajar
Para um mundo distante
Uma galáxia qualquer
Em movimento constante
De uma forma permanente
Sentisse o calor
Do teu corpo, ardente, sedutor
E pudesse eu retribuir
O meu amor.
Mas, foste embora.
Ali fiquei eu, triste e só
Como quem chora
Pergunto-me E AGORA? 

COMO TE AMO !