quarta-feira, 16 de janeiro de 2013


A PRIMEIRA VEZ OU NOITE DE NÚPCIAS

Consideramos a “primeira vez” como o primeiro contacto sexual.
Há alguns anos, talvez 50, a “Primeira vez” tinha lugar na “Primeira Noite” ou “Noite de Núpcias”
Mandavam as regras morais e ou dos “Bons Costumes”, os conceitos sócio culturais, e religiosos que a primeira relação sexual deveria ter lugar na noite de casamento.
Os noivos eram presentes no Altar onde juravam e assumiam os sagrados mandamentos do matrimónio, perante Deus, os homens, os padrinhos, e convidados.
A noiva era portadora de um ramo confeccionado com flor de laranjeira que simbolizava a sua virgindade.
Ao noivo nada se exigia em termos de virgindade.
Numa sociedade machista louvava-se e enaltecia-se as aventuras amorosas pré matrimonias que no conceito social de então era sinonimo de virilidade.
Na sociedade actual, as mulheres ocupam e desempenham, paralelamente com os homens, o mesmo papel social com os mesmos direitos e deveres.
O matrimónio já não tem o mesmo cariz moral, social, cultural e religioso, pelo que a “Primeira Vez” já não significa a “Primeira Noite” ou “Noite de Núpcias”.
No entanto, a “Primeira vez” não reduziu a sua importância nas inter-relações pessoais quando se tem por objectivo uma vida partilhada.
É conceito generalizado que a “Primeira Vez” é assunto exclusivo do sexo feminino porque é entendida como a primeira introdução do pénis na vagina após a laceração do hímen.
Ainda hoje, em algumas sociedades em que o machismo não foi erradicado, a “Primeira Vez” significa não só a laceração do hímen como também sangramento vaginal.
Assim, noiva que não tenha sangramento vaginal na “Primeira Noite” significa ausência de virgindade e o consequente repudio matrimonial, familiar e social.
O hímen, membrana que reveste a vulva, parte anterior ou entrada da vagina tem várias configurações anatómicas.
Hímens complacentes, anelares, bilobulados, semilunares, labiados, etc..que permitem a introdução do pénis sem que se observe sangramentos.
Porque há uma “Primeira Vez” para tudo, o sexo masculino também tem a sua “Primeira Vez” que frequentemente é sexualmente muito mais marcante que no sexo feminino.
O importante da “Primeira Vez” é o carinho, o amor, e o respeito que devemos ao nosso parceiro sexual.
Dar e receber prazer como complemento e manifestação de amor deve ser o objectivo da “Primeira Vez”.
O envolvimento pleno da “Primeira Vez” evita as disfunções e os desvios sexuais. Alicerça a sã convivência entre os casais.
Amar é fazer com que todas as vezes sejam sempre a “Primeira Vez” ou a noite de núpcias.
FELIZ PRIMEIRA VEZ.