domingo, 23 de dezembro de 2012

SOPAS SOLIDARIAS? QUEREMOS JUSTIÇA SOCIAL

Não sou contra a solidariedade humana, até a defendo.
No entanto incomoda-me, entristece-me, revolta-me a promoção de pobreza que diariamente a comunicação social nos transmite.
Odeio as Sopas, os almoços, os jantares, os cartões solidários, os bancos, os sacos, saquinhos e saquetes  que me faz regressar à meninice onde havia a sopa da legião Portuguesa, a Cruz Vermelha e os sacos de "consoada"
Odeio principalmente os indivíduos que fazem da desgraça alheia a sua atividade profissional a que chamam solidariedade enquanto eles se apresentam de ventres protuberantes  porque de "barriga Cheia ".
Temos uma nova atividade profissional em Portugal que denomina SOLIDÁRIO.
Duvido que paguem IRS, IVA, IRC, IMI, e outros impostos com que diariamente somos sobrecarregados.
É certo que antes do 25 de Abril as entidades patronais exploravam os trabalhadores pagando-lhes baixos salários e que numa catarse ofereciam as consoadas onde incluíam roupas e brinquedos que já tinham sido utilizados para além do azeite, bacalhau, açúcar, farinhas, não faltando o vinho do Porto 3 velhotes. Quem não se lembra?
Estes "gajos" andam há quase dois anos a roubar-nos para pagar os buracos da banca, especialmente do BPN, e os colaboracionistas do sistema vão-nos entretendo com as solidariedades.
QUE IMAGEM MAIS VERGONHOSA.
NÃO SOMOS RICOS MAS TAMBÉM NÃO SOMOS NENHUNS POBRETANAS.
QUE IMAGEM DAMOS AO MUNDO?

QUEREMOS JUSTIÇA SOCIAL E NÃO PIEDADE!

BOM NATAL E BOM ANO SEM SOPAS, ALMOÇOS E OU JANTARES SOLIDÁRIOS.




segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

A APOLOGIA DA FOME E DA MISÉRIA

Este Estado ao tributar de forma expressiva a classe média, os trabalhadores, os aposentados, os reformados, as pequenas e médias empresas tem desenvolvido uma politica miserabilista lançando os cidadãos para a pobreza tornando-os socialmente dependentes.
Dependência social que ele Estado frequentemente apregoa que pretende banir porque não há verbas.
Atirando com os cidadãos para a pobreza não só não acaba com o Estado social com e antes pelo contrário cada vez mais cria indivíduos socialmente dependentes.
Prova do que digo são as Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) que de particulares nada têm e que mais não são que Instituições de "tachos" que absorvem dinheiros Públicos, pois é do conhecimento público que as IPSS são comparticipadas pelo Ministério da Solidariedade e Segurança Social (MSSS).
Em artigo publicado no Jornal de Noticias de 28.12.12, pode-se ler que "EM PORTUGAL A SOLIDARIEDADE SOCIAL EMPREGA MAIS QUE NA SAÚDE.
A ECONOMIA SOCIAL JUNTA 55 MIL ENTIDADES, OU SEJA EMPRESAS, E DÁ TRABALHO A 226 MIL PESSOAS.
Ora solidariedade Social compreende gratuitidade, disponibilidade, ajuda ao próximo, etc.
Em Portugal Solidariedade Social é de cariz empresarial com os seus Quadros e respetivos funcionários que no meu modesto entender nada tem de solidariedade conforme tenho vindo a denunciar.
Quando eu era criança havia uma instituição que se designava por Mocidade Portuguesa.
Ás crianças da altura era distribuída uma farda de caqui em que a camisa era verde e os calções ou calças de cor castanha sustentadas por um cinto cuja fivela era composta por três SSS.
Perguntar-me-ão, e...?
As crianças, na sua inocência traduziam esses S como: "Somos Soldados Soviéticos sem Salazar saber" ou seja SSS.
Não sei se entende a analogia, mas de facto ocorreu-me que na presença de tantos S presumo que as ditas instituições dos S se relacionam de alguma forma com o Estado Novo que como estes apregoam a dita "humildade" e a proteção do coitadinho.
Concluindo.
Rouba-se descaradamente os trabalhadores, os pensionistas, os reformados, as pequenas e médias empresas e alimenta-se os GORDUCHOS das IPSSS que posteriormente vão oferecer AS SOPINHAS SOLIDÁRIAS aos que antes foram extorquidos, remetidos para o desemprego e consequentemente para a miséria social.
Porque razão estes "PALHAÇOS" (que fique bem claro que palhaços não tem qualquer sentido pejorativo. Digo palhaços porque me fazem rir) não canalizam o dinheiro Público para o trabalho e desenvolvimento do País em vez de o enviar para os "gajos e gajas" das SOPINHAS SOLIDÁRIAS?  
SIMPLESMENTE METEM-ME NOJO!

SE PUDESSE IMIGRAVA.

DEIXO UM APELO. SE ALGUÉM DE UM PAÍS TERCEIRO OU SEGUNDO MUNDISTA LER ESTE ARTIGO E ESTIVER INTERESSADO NOS SERVIÇOS DE UM MÉDICO ESTOU IMEDIATAMENTE DISPONÍVEL.

JÁ NÃO AGUENTO VER OS MEUS CONCIDADÃOS E AS CRIANÇAS DESTE PAÍS A SOFREREM COMO SOFREM. 
FELIZ NATAL E UMA BOA SOPINHA SOLIDÁRIA.