segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

A APOLOGIA DA FOME E DA MISÉRIA

Este Estado ao tributar de forma expressiva a classe média, os trabalhadores, os aposentados, os reformados, as pequenas e médias empresas tem desenvolvido uma politica miserabilista lançando os cidadãos para a pobreza tornando-os socialmente dependentes.
Dependência social que ele Estado frequentemente apregoa que pretende banir porque não há verbas.
Atirando com os cidadãos para a pobreza não só não acaba com o Estado social com e antes pelo contrário cada vez mais cria indivíduos socialmente dependentes.
Prova do que digo são as Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) que de particulares nada têm e que mais não são que Instituições de "tachos" que absorvem dinheiros Públicos, pois é do conhecimento público que as IPSS são comparticipadas pelo Ministério da Solidariedade e Segurança Social (MSSS).
Em artigo publicado no Jornal de Noticias de 28.12.12, pode-se ler que "EM PORTUGAL A SOLIDARIEDADE SOCIAL EMPREGA MAIS QUE NA SAÚDE.
A ECONOMIA SOCIAL JUNTA 55 MIL ENTIDADES, OU SEJA EMPRESAS, E DÁ TRABALHO A 226 MIL PESSOAS.
Ora solidariedade Social compreende gratuitidade, disponibilidade, ajuda ao próximo, etc.
Em Portugal Solidariedade Social é de cariz empresarial com os seus Quadros e respetivos funcionários que no meu modesto entender nada tem de solidariedade conforme tenho vindo a denunciar.
Quando eu era criança havia uma instituição que se designava por Mocidade Portuguesa.
Ás crianças da altura era distribuída uma farda de caqui em que a camisa era verde e os calções ou calças de cor castanha sustentadas por um cinto cuja fivela era composta por três SSS.
Perguntar-me-ão, e...?
As crianças, na sua inocência traduziam esses S como: "Somos Soldados Soviéticos sem Salazar saber" ou seja SSS.
Não sei se entende a analogia, mas de facto ocorreu-me que na presença de tantos S presumo que as ditas instituições dos S se relacionam de alguma forma com o Estado Novo que como estes apregoam a dita "humildade" e a proteção do coitadinho.
Concluindo.
Rouba-se descaradamente os trabalhadores, os pensionistas, os reformados, as pequenas e médias empresas e alimenta-se os GORDUCHOS das IPSSS que posteriormente vão oferecer AS SOPINHAS SOLIDÁRIAS aos que antes foram extorquidos, remetidos para o desemprego e consequentemente para a miséria social.
Porque razão estes "PALHAÇOS" (que fique bem claro que palhaços não tem qualquer sentido pejorativo. Digo palhaços porque me fazem rir) não canalizam o dinheiro Público para o trabalho e desenvolvimento do País em vez de o enviar para os "gajos e gajas" das SOPINHAS SOLIDÁRIAS?  
SIMPLESMENTE METEM-ME NOJO!

SE PUDESSE IMIGRAVA.

DEIXO UM APELO. SE ALGUÉM DE UM PAÍS TERCEIRO OU SEGUNDO MUNDISTA LER ESTE ARTIGO E ESTIVER INTERESSADO NOS SERVIÇOS DE UM MÉDICO ESTOU IMEDIATAMENTE DISPONÍVEL.

JÁ NÃO AGUENTO VER OS MEUS CONCIDADÃOS E AS CRIANÇAS DESTE PAÍS A SOFREREM COMO SOFREM. 
FELIZ NATAL E UMA BOA SOPINHA SOLIDÁRIA.